Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vendas da Vista Alegre recuam 4,5% em 2006

A VAA – Vista Alegre Atlantis SGPS registou um volume de negócios de 76 milhões de euros no ano passado, o que representa uma queda de 4,5% face a 2005, anunciou hoje a empresa. Os resultados antes de impostos, embora tenham continuado negativos, melhorar

Isabel Aveiro ia@negocios.pt 30 de Abril de 2007 às 17:42
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A VAA – Vista Alegre Atlantis SGPS registou um volume de negócios de 76 milhões de euros no ano passado, o que representa uma queda de 4,5% face a 2005, anunciou hoje a empresa. Os resultados antes de impostos, embora tenham continuado negativos, melhoraram em 4,4 milhões de euros.

Em comunicado, a companhia fez saber que facturou 44,2 milhões de euros no mercado interno (contra 46,9 milhões de euros um ano antes) e 31,8 milhões de euros no estrangeiro, face a 32,7 milhões de euros obtidos no exercício de 2005.

A administração da empresa salienta contudo que "não obstante a queda de vendas registada no exercício e o reforço de provisões e ajustamentos em seis milhões de euros" (mais quatro milhões de euros do que em 2005), os resultados "em linha com os dados publicados" no final do terceiro trimestre de 2006, "apresentaram uma ligeira melhoria". Assim, o resultado operacional passou de 13,8 milhões de euros negativos em 2005 para 11,9 milhões de euros negativos em 2006.

Já o resultado antes de impostos registou um decréscimo de 4,4 milhões de euros, passando de 20,9 milhões de euros negativos em 2005 para 16,5 milhões de euros negativos para 2006. A empresa não apresentou resultados líquidos.

A margem bruta melhorou de 71,4% para 72,2%, tendo os custos operacionais registado uma diminuição de 9,8%, equivalente a 5,6 milhões de euros.

Sem contabilizar, a companhia adianta ainda que "negociou com a banca a prorrogação de responsabilidades" da reestruturação financeira, "vencidas no final de 2006 e vincendas até final de 2007, bem como um financiamento de curto prazo".

O grupo defende que em 2007 "a perspectiva de evolução dos negócios sociais" continua a "revelar dificuldades nos sectores da faiança, cristal e vidro, prevendo-se uma melhoria nos resultados da porcelana e forno, embora insuficiente para o regresso dos lucros".

As acções da companhia [VAF] encerraram hoje, antes da divulgação dos resultados anuais, a valorizar 5,26%, para 0,20 euros.

Mais lidas
Outras Notícias