Empresas Vendas de jornais generalistas caem 4%

Vendas de jornais generalistas caem 4%

As vendas dos jornais generalistas caíram 4% nos primeiros dois meses do ano, tendo o "Diário de Notícias", nos generalistas, e o "Jornal de Negócios", na economia, contrariado a tendência de queda dos respectivos segmentos.
Filipe Pacheco 30 de abril de 2012 às 14:17
Segundo os dados da Associação Portuguesa de Tiragem e Circulação (APCT) hoje divulgados, os títulos de imprensa diária generalista tiveram uma média de circulação paga de 266.035 exemplares nos primeiros dois meses de 2012. O que comparado com a média de 276.913 jornais vendidos no período homólogo do ano anterior espelha uma diminuição de 4%.

O “Correio da Manhã” (detido pela Cofina, grupo dono do “Negócios”) continua a ser o líder de vendas, com uma média de 119.380 exemplares vendidos no primeiro bimestre de 2012. Ainda assim, o jornal diário não conseguiu contrariar a tendência de descida do segmento. Na média de Janeiro e Fevereiro de 2011, o “CM” teve uma circulação paga de 127.218 exemplares, o que significa uma queda de 6% na comparação homóloga.

O “Jornal de Notícias” foi, por seu turno, o título com a maior descida das vendas, depois de ter registado nos primeiros dois meses de 2012 uma média de circulação paga de 79.151 exemplares. Em comparação com a média de vendas de 86.634 exemplares registada no período homólogo de 2011, o “JN” sofreu uma quebra de 8,64%.

O “Diário de Notícias” foi o único jornal do segmento a registar uma subida de vendas, que foram, em média, de 31.284 jornais em Janeiro e Fevereiro de 2012. Comparando com a média de circulação paga de 25.123 exemplares do mesmo período de 2011, o jornal da Controlinveste obteve uma subida de 24,5%. O Público acabou os dois primeiros meses de 2012 com uma média de vendas de 29.362 jornais, o que reflecte uma descida de 4,6% face à média de circulação paga de 30.761 exemplares em igual período do ano anterior.

Negócios sobe

Nos títulos económicos, o “Jornal de Negócios” foi o único a subir, tendo vendido uma média de 10.146 exemplares em Janeiro e Fevereiro de 2012. Comparando com a média de circulação paga de 9.782 exemplares do período homólogo de 2011, o título de economia da Cofina sobiu 3,72%. Já o “Diário Económico” registou uma quebra de 1,54%, com uma média de 15.564 exemplares vendidos no primeiro bimestre de 2012. No período homólogo de 2011, o título da Ongoing teve uma média de 15.807 exemplares vendidos.

“Expresso” fica abaixo dos 100 mil

O semanário da Impresa registou uma quebra significativa nos primeiros dois anos de 2012. Em média, o “Expresso” teve uma circulação paga de 96.380 exemplares, o que exprime uma queda de 4,5% face à média de 100.871 jornais vendidos nos primeiros dois meses de 2011. Já o “Sol” vendeu em média 29.931 jornais em Janeiro e Fevereiro de 2012, tendo descido 12,33% em relação à média de circulação paga de 34.139 exemplares do período homólogo de 2011.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI