Tecnologias Vila Real recebe polo da Critical Software que quer contratar 100 engenheiros  

Vila Real recebe polo da Critical Software que quer contratar 100 engenheiros  

A empresa Critical Software vai abrir um centro de desenvolvimento em Abril, na zona de Vila Real, e contratar 100 engenheiros em dois anos, adiantaram hoje fontes da universidade e autarquia.
Vila Real recebe polo da Critical Software que quer contratar 100 engenheiros   
A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) será parceira da Critical Software
Lusa 21 de fevereiro de 2018 às 09:39

De acordo com as fontes, a empresa, sediada em Coimbra e que actua nos sectores da aeronáutica, da defesa e dos transportes, vai instalar um polo, numa parceria com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Câmara Municipal.

 

O centro de desenvolvimento entra em funcionamento em Abril com um grupo de 15 engenheiros que ficarão, numa primeira fase, instalados no Regia Douro Park -- Parque de Ciência e Tecnologia.

 

O objectivo da Critical Software é mudar, depois, para uma instalação definitiva no centro histórico da cidade.

 

As fontes referiram que a empresa prevê contratar mais de uma centena de diplomados em engenharia nos próximos dois anos, principalmente informáticos e electrotécnicos, mas também ligados à área aeroespacial ou física.

 

Será articulada com a UTAD a cooperação na formação especializada em alguns desses domínios. Entretanto, a empresa já lançou o processo de recrutamento.

 

Criada em 1998, a Critical Software é especializada no desenvolvimento de serviços para o suporte de sistemas críticos orientados para a segurança e para o negócio de empresas. Actua em sectores como o da aeronáutica, da defesa, da segurança interna, dos transportes, das telecomunicações, das finanças e da energia.

 

É uma das mais importantes empresas de 'software' do mundo e trabalha para clientes como as Forças Armadas de Portugal e do Reino Unido, as agências espaciais norte-americana (NASA), europeia (ESA), chinesa (CNSA) e japonesa (JAXA).

 

Actualmente, tem escritórios em Lisboa e Porto e marca presença, através de subsidiárias, no Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos da América, Brasil, Moçambique e em Angola.

 

Já emprega, ao todo, cerca de 500 pessoas, das quais perto de 400 são da área da engenharia.

 

Vila Real tem reforçado esforços para atrair empresas e centros de investigação, com o objectivo de criar emprego qualificado e fixar pessoas.

 

Na semana passada, foi anunciada a instalação de um centro Fraunhofer no Regia Douro Park, também numa parceria com a UTAD, que prevê um programa de actuação ao nível da agricultura de precisão, nomeadamente nas áreas do vinho e da vinha.

 

A Fraunhofer-Gesellschaft é a maior organização de investigação aplicada na Europa, tem uma equipa de cerca de 25 mil pessoas distribuídas em mais de 80 centros de investigação no mundo, incluindo 69 Institutos na Alemanha. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 21.02.2018

Talento sem abertura e flexibilidade do mercado laboral e sem mercado de capitais funcional e minimamente acarinhado, é talento desperdiçado. E esta é a sina do Poortugal socialista desde há muito. Ficam os tuk-tuks enquanto a moda pegar...

Anónimo 21.02.2018

Empresas destas esgotam o seu potencial a cada dia que passam no Poortugal geringonceiro. Espero que consigam sobreviver e ainda cá estejam daqui a mais um par de anos de socialismo tuga.

pub