Empresas Vinhos Verdes exportam 52 milhões para 106 países

Vinhos Verdes exportam 52 milhões para 106 países

A região dos vinhos verdes, que exportava 15% da sua produção em 2000, no ano passado teve mais de 40% das vendas no exterior, o que equivale a exportações de 51,7 milhões de euros, mais 10% do que no ano anterior.
Vinhos Verdes exportam 52 milhões para 106 países
Rui Neves 02 de fevereiro de 2016 às 14:36

No ano passado, a região dos vinhos verdes registou exportações de 51,7 milhões de euros, o que representa um crescimento de 10% face ao ano anterior. Em volume, atingiu os 22 milhões de litros.

 

Na frente de vendas ao exterior, destacou-se o mercado dos Estados Unidos, com um aumento de 31% a liderar com 12,5 milhões de euros, seguido da Alemanha (9,3milhões), França com mais 21% (seis milhões), Canadá com acréscimo de 16% (3,6milhões), Brasil (2,8 milhões) e Suíça (2,2 milhões de euros).

 

As exportações de Vinhos Verdes chegaram a 106 países. Grande realce para o caso da Suécia, onde se verificou um crescimento de 36%. Apesar da crise económica que assola o Brasil, o crescimento neste mercado foi de 4%.

 

As exportações de vinhos verdes, que representavam apenas 15% da produção no ano 2000, valem agora mais de 40% do total do negócio, fatia que sobe para mais de 50% no caso dos brancos. Uma performance que surge na sequência da definição de "uma estratégia de vocação exportadora que a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) vem protagonizando através do plano de marketing anual"

 

Em 2015, as castas Loureiro e Alvarinho cresceram cerca de 15% cada, enquanto os rosados representam já 5% do negócio do vinho verde.

 

Nos restantes produtos, o que demonstra mais dinamismo é o espumante de vinho verde branco, que regista um aumento de 38 mil para 148 mil litros, "fruto da abertura ao novo método de produção em cuba fechada que está a atrair investimentos na região".

 

"A valorização conseguida, uma vez que o volume pouco mais poderia crescer, dado que o stock proveniente da vindima de 2014 era muito baixo. Em 2015, o vinho verde praticamente esgotou", enfatiza a CVRVV, em comunicado.

 

Exportar 50% no próximo triénio

 

Para 2016, a CVRVV "investe numa estratégia de longo prazo, encetada há mais de uma década, com objectivos evolutivos e resultados bem-sucedidos alcançados ao longo do tempo".

 

Nesse sentido, a região dos vinhos verdes vai investir três milhões de euros na promoção da Denominação de Origem Vinho Verde, na Indicação Geográfica Minho e no produto enoturístico Rota dos Vinhos Verdes.

 

Manter o crescimento em notoriedade e vendas em mercados orgânicos é o objectivo funcional para 2016, elegendo-se como mercados-alvo de promoção Portugal, Estados Unidos, Alemanha, Canadá, Brasil, Suíça, Reino Unido, Noruega, Suécia e Japão – "novidade que acresce maior dinamismo e orientação de vendas externas".

 

Grande meta: chegar aos 50% de exportações nos próximos três anos.

 

Para Manuel Pinheiro, Presidente da CVRVV, "este é um momento de satisfação quanto aos mercados externos, mas também de reposicionamento no mercado nacional: em Portugal, os vinhos da região registam um crescimento na ordem dos 8,2% em volume e 11% em valor. Queremos reforçar esse posicionamento, continuando a investir na promoção externa", salienta este responsável associativo, em comunicado.

 

"Acima de tudo, queremos cimentar o papel dos vinhos verdes como embaixadores da marca Portugal. E esse é um trabalho que não pode deixar de ser também feito no mercado nacional", remata.


(Notícia actualizada às 15:12 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI