Telecomunicações Vodafone Portugal fecha ano com aumento de 1,2% das receitas

Vodafone Portugal fecha ano com aumento de 1,2% das receitas

A operadora liderada por Mário Vaz terminou o ano fiscal de 2016 com um aumento das receitas para 985 milhões de euros impulsionado pelo crescimento em 18,8% dos clientes do serviço fixo.
Vodafone Portugal fecha ano com aumento de 1,2% das receitas
Bruno Simão
Sara Ribeiro 16 de maio de 2017 às 08:37

A Vodafone Portugal terminou o ano fiscal de 2016, findo em Março, com receitas totais de 985 milhões, um crescimento de 1,2% face ao período homólogo.

Tendo em conta só os proveitos de serviços, excluindo a venda de equipamentos por exemplo, a operadora liderada por Mário Vaz alcançou 911 milhões de euros, o que representa um aumento de 1,7%.

Analisando só os números do último trimestre, de Janeiro a Março, as receitas totais cresceram 1,7% para 239,8 milhões de euros, ao passo que as de serviço aumentaram 2,2% para 226 milhões de euros.

A performance da Vodafone Portugal é explicada pelo crescimento do fixo, segmento que registou, durante o ano fiscal completo, um aumento de 18,8% do número total de clientes para 590 mil.

No final de Março a operadora contava com 2,7 milhões de lares cobertos com fibra óptica.

Já no móvel, a tendência continua a ser decrescente. No final de Março a operadora somava 4,7 milhões de clientes deste serviço, uma queda de 2,8% justificada pelo segmento pré-pago, onde perdeu 153 mil clientes. Já na oferta pós-paga, aumentou em 19 mil o número de clientes.

A receita média por utilizador (ARPU) do segmento móvel recuou ligeiramente, passando dos 11,9 euros registados no exercício 2015-2016 para 11,7 euros no ano fiscal findo am Março de 2017.

A maior queda desta rubrica foi sentida nas ofertas a contrato com o ARPU a situar-se em 19,5 euros, enquanto que no ano anterior tinha alcançado os 20,5. No pré-pago, a receita média por utilizador ficou praticamente inalterada, situando-se em 6,5 euros.

No segmento empresarial, a operadora destaca o novo contrato para" prestação dos serviços de comunicações fixas, móveis e de dados à Câmara Municipal de Cascais (CMC) e a todo o seu universo empresarial, através de uma solução global e convergente, de elevado grau de sofisticação, desenhada à medida das necessidades do Município", segundo o comunicado enviado pelo operador.

Para Mário Vaz, "o exercício de 2016-2017 mostra que a Vodafone Portugal mantém uma tendência de crescimento, num ambiente de plena convergência, reflexo de uma estratégia de investimento e de diversificação do negócio ao longo dos últimos anos".

No global, as receitas do grupo britânico descresceram 4,4% para 47,6 mil milhões de euros devido "aos movimentos cambiais".

(Notícia actualizada às 8:56 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI