Tecnologias Volkswagen Financial Services compra fornecedor português de software

Volkswagen Financial Services compra fornecedor português de software

A divisão da construtora alemã Volkswagen para serviços financeiros automóveis adquiriu uma posição maioritária na "holding" que detém a lisboeta VTXRM. O fundador Nuno Silva continua à frente da empresa de software.
Volkswagen Financial Services compra fornecedor português de software
A sede do Volkswagen Financial Services em Portugal fica situada no concelho da Amadora.
Direitos Reservados
António Larguesa 17 de abril de 2018 às 12:21

Começou por fornecer o grupo Volkswagen Financial Services em Portugal; depois implementou o software Accipiens, que abrange todo o processamento digital de contratos para empresas financeiras e de "renting" nos vários países onde este cliente actua; e agora é comprada pelo gigante alemão especializado em serviços financeiros automóveis.

 

A VTXRM Software Factory, que tem sede em Lisboa e emprega cerca de uma centena de funcionários, passa para as mãos do Volkswagen Financial Services, que adquiriu 90% das acções da empresa portuguesa através de uma participação maioritária na "holding" Softbridge - Projectos Tecnológicos. O fundador, Nuno Silva, é o outro accionista e tem a garantia de que continuará na liderança da empresa.

 

Sem divulgar os valores envolvidos nesta operação, esta divisão da construtora Volkswagen, que opera em Portugal há seis anos, sublinha que esta compra de uma participação maioritária indirecta na empresa portuguesa insere-se numa "estratégia de digitalização e reforço de competências nas tecnologias de informação".

 

São objectivos nesta aquisição assegurar a capacidade de fornecimento a longo prazo e o futuro desenvolvimento da VTXRM no grupo. Mario Daberkow, administrador do Volkswagen Financial Services AG

 

Embora passe a integrar o grupo que em Portugal conta com 35 mil clientes nos serviços de "renting", financiamento, seguros e serviços de manutenção, a VTXRM tem a garantia dos novos donos de que "vai continuar a servir os seus clientes fora do Grupo Volkswagen Financial Services e a operar de forma independente no mercado, tendo como objectivo expandir ainda mais o seu negócio".

 

Garantir fornecimento a longo prazo

 

"O Accipiens é um dos nossos sistemas de gestão de contratos implementado globalmente que nos ajuda a estandardizar processos a nível mundial, a aumentar a produtividade e a reduzir custos. (…) Assegurar a capacidade de fornecimento a longo prazo e o futuro desenvolvimento da VTXRM no Grupo Volkswagen Financial Services são objectivos adicionais desta aquisição", frisou em comunicado o administrador Mario Daberkow, responsável pelas áreas tecnológica e de processos.

 

Foi precisamente para se ligar ao universo das start-ups que, em Setembro de 2017, a Volkswagen Financial Services lançou o concurso Startup Battlefield. Essa iniciativa para encontrar ideias ou projectos na área da mobilidade e dos serviços financeiros que pudessem ser aplicados no mercado nacional acabou por ser ganha por uma solução de origem austríaca que visa facilitar o estacionamento nas cidades.

A nível global, segundo a informação disponibilizada, o Volkswagen Financial Services conta com 15.770 funcionários. No final de 2017 reportou um total de activos de 186,9 mil milhões de euros, um resultado operacional de 2,5 mil milhões de euros e um portefólio de 19,7 milhões de contratos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
ze Há 4 dias

Os alemães já perceberam que na arte de aldrabar software não passam de uns meninos de coro ... deixem esse trabalho para os profissionais.

pub