Comércio WSJ: Amazon estuda abrir até 400 livrarias físicas

WSJ: Amazon estuda abrir até 400 livrarias físicas

Não é a marca que o assume, mas antes a inconfidência de um gestor de centros comerciais: o gigante das vendas na internet prepara-se para entrar em força no negócio das livrarias nos EUA.
WSJ: Amazon estuda abrir até 400 livrarias físicas
Paulo Zacarias Gomes 03 de fevereiro de 2016 às 13:14

Depois de há dois meses ter aberto em Seattle, Estados Unidos, a sua primeira livraria física, o gigante do retalho online Amazon prepara-se para expandir o conceito a várias centenas de novos locais nos EUA.

A notícia é avançada esta quarta-feira pelo Wall Street Journal, que cita o CEO da gestora de centros comerciais General Growth Properties, Sandeep Mathrani.

"Temos aí a Amazon a abrir livrarias físicas e o objectivo deles é abrir, ao que sei, 300 a 400 [lojas]", disse aquele gestor numa conferência com analistas.

A primeira loja física da retalhista online foi criada em Novembro no bairro de University Village, sendo o estabelecimento na altura apelidado como uma "extensão física da Amazon.com", onde os livros são vendidos ao mesmo preço que na loja online.

Além dos livros em papel, a Amazon – que há mais de 20 anos arrancou como livraria online – vai vender também dispositivos electrónicos da marca, como os leitores digitais Kindle, os "tablets" Fire e os aparelhos de comando por voz Echo.

As vendas da empresa dispararam 20% em 2015, para 107 mil milhões de dólares (cerca de 98 mil milhões de euros), levando os lucros a 545 milhões de euros, que comparam com prejuízos de 220 milhões de euros um ano antes.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI