Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Carvão representou 1% do consumo de energia no primeiro semestre

No primeiro semestre a produção renovável abasteceu 60% do consumo de energia em Portugal. Em julho, o consumo registou uma recuperação face à queda registada nos últimos meses devido à pandemia.

O plano nacional traça como meta que 80% da produção de electricidade seja de fontes renováveis em 2030.
Guillaume Horcajuelo/EPA
Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 03 de Agosto de 2020 às 18:19
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

No mês de julho o consumo de energia elétrica registou uma recuperação face à queda que tem registado desde a pandemia, ficando em linha com o registado no mesmo mês do ano anterior, de acordo com os dados divulgados esta segunda-feira pela REN. No entanto, tendo em conta a correção dos efeitos de dias úteis e temperatura, que esteve acima dos valores normais, registou-se uma variação negativa de 3,5%, ainda assim uma queda inferior às verificadas desde abril, detalha a gestora das redes nacionais.

Analisando os dados do acumulado do ano, houve uma variação negativa de 4,3%, ou 5,0% com correção de temperatura e dias úteis, tratando-se, para este período, do consumo mais baixo desde 2005.

No período de janeiro a julho a produção renovável abasteceu 60% do consumo, repartida pela hidroelétrica com 28%, eólica com 23%, biomassa com 7% e fotovoltaica com 2,6%. "A produção não renovável abasteceu 32% do consumo, praticamente apenas com gás natural, mantendo-se o carvão com produção reduzida, representando menos de 1% do consumo", aponta a REN.

Já o saldo de trocas com o estrangeiro é equivalente a cerca de 8% do consumo nacional.

No mercado de gás natural verificou-se, também, uma recuperação face aos registos dos últimos meses, com uma quebra homóloga de 2%, "resultado de uma variação negativa de 6,2% no segmento convencional e positiva de 2,9% no segmento de produção de energia elétrica", acrescenta a empresa no mesmo comunicado.

No acumulado do ano, o consumo registou uma contração de 4,8%, com o segmento convencional a apresentar uma variação negativa de 9% e o segmento de produção de energia elétrica a avançar 4,4%.

Ver comentários
Saber mais REN energia
Mais lidas
Outras Notícias