Energia Chineses da CNIC reduzem na EDP para menos de 2% do capital

Chineses da CNIC reduzem na EDP para menos de 2% do capital

A posição da CNIC, que chegou perto dos 5%, foi relevante na altura da OPA da China Three Gorges sobre a EDP.  
Chineses da CNIC reduzem na EDP para menos de 2% do capital
Nuno Carregueiro 31 de outubro de 2019 às 07:53

A CNIC, empresa chinesa de capitais públicos, deixou de ser acionista com participação qualificada no capital da EDP, anunciou a companhia liderada por António Mexia em comunicado à CMVM.

 

Os chineses, que detinham 4,98% do capital da EDP, têm agora uma posição de 1,8898%, correspondente a 69.100.627 ações.

 

No final de 2017 a CNIC tinha comprado 1,96% da EDP para chegar a perto de 2% do capital. Uma participação que a CMVM imputou ao Estado chinês na altura da OPA da China Three Gorges.

 

A CTG, que é o maior acionista da EDP com 23,27% do capital, tinha na CNIC um possível aliado na oferta que lançou sobre a empresa portuguesa. Com a OPA para trás, a posição da CNIC perdeu relevância e os chineses optaram agora por reduzir.

 

Na altura da OPA o Financial Times noticiou que a CNIC era detida pela Safe, empresa responsável pela gestão das reservas estrangeiras detidas por Pequim.

 

As ações da EDP fecharam nos 3,621 euros, pelo que a posição da CNIC está agora avaliada em 250,2 milhões de euros.

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI