Energia Chineses também lançam OPA à Renováveis. Preço abaixo da actual cotação

Chineses também lançam OPA à Renováveis. Preço abaixo da actual cotação

A contrapartida é de 7,33 euros por cada acção, o que se encontra abaixo da cotação de fecho de hoje das acções (7,845 euros).

A China Three Gorges (CTG) lançou esta sexta-feira uma oferta pública de aquisição sobre a EDP Renováveis, oferecendo uma contrapartida de 7,33 euros por cada acção, o que se encontra abaixo da cotação de fecho de hoje das acções (7,845 euros), refere um comunicado na CMVM onde a empresa faz o anúncio preliminar da operação.

O desconto é de 6,56% e oferta avalia a empresa em 6,39 mil milhões de euros. Esta oferta surge na mesma altura em que a CTG lançou também uma OPA sobre a EDP, empresa que controla 83% do capital da EDP, daí que assuma o estatuto de OPA obrigatória.

Para comprar a posição na Renováveis que não é detida pela EDP e chegar aos 100% da cotada, os investidores chineses terão de gastar 1,086 mil milhões de euros.

Apesar da contrapartida desta oferta ser inferior à actual cotação, situa-se 8,6% acima do preço de 6,75 euros que a EDP ofereceu na OPA que lançou no ano passado e que não teve sucesso pois falhou os 90% necessários para retirar a participada de bolsa.



Preço é o mais baixo possível

No anúncio preliminar, a CTG salienta que "a contrapartida oferecida cumpre com os critérios estabelecidos no artigo 188.º do Código dos Valores Mobiliários, uma vez que" a oferente não adquiriu acções da EDP nos últimos seis meses e "é igual ao preço médio ponderado" das acções da EDPR nos últimos seis meses "arredondado para o cêntimo superior".

Ou seja, a CTG está a oferecer o mínimo a que era obrigada nesta OPA sobre a EDP Renováveis.

A CTG diz que tem como objectivo "manter a actividade" da EDP Renováveis, bem como o seu "carácter autónomo" e "orientação estratégica em relação ao negócio que desenvolve".

Entre as condições a que a OPA está sujeita, destaca-se uma que a CTG também inclui na oferta sobre a EDP. Diz respeito à "confirmação por parte do Governo de Portugal de que este não se irá opor" à oferta.


Uma garantia que foi já deixada por António Costa, mesmo antes do anúncio ser oficial.

Também como consta no anúncio da OPA sobre a EDP, a oferta sobre a Renováveis está condicionada à aprovação por parte de uma série de reguladores, dos variados países onde a companhia portuguesa está presente.

O Millennium Investment Banking, banco de investimento do BCP, é a instituição financeira responsável pela oferta.

 

(notícia actualizada às 22:07 pela última vez)




Notícias Relacionadas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI