Energia Conselho de Supervisão alinha com administração da EDP na avaliação da OPA

Conselho de Supervisão alinha com administração da EDP na avaliação da OPA

O conselho liderado por Nuno Amado identifica "factores positivos" na OPA da CTG. Entre eles a promessa dos chineses de manterem a identidade portuguesa da EDP.
Conselho de Supervisão alinha com administração da EDP na avaliação da OPA
Bruno Simão
Celso Filipe 09 de junho de 2018 às 01:49
O Conselho Geral e de Supervisão (CGS) da EDP, liderado por Luís Amado, alinha com o conselho de administração da eléctrica na avaliação da OPA (Oferta Pública de Aquisição) lançada pela China Three Gorges (CTG). Ou seja, o preço de 3,26 euros por acção oferecido pelos chineses é baixo.

Este órgão "considera adequada a opinião expressa" pelo conselho de administração, lê-se no relatório publicado no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) na madrugada de sexta-feira para sábado.

O CGS avalia favoravelmente o facto de a CTG se comprometer a manter a identidade portuguesa da EDP, bem como a promessa de que a eléctrica continuará a ser uma empresa cotada. Outro "factor positivo" identicado pelo conselho é a estratégia dos chineses de uma "potencial integração de activos". A CTG compromete-se, por exemplo, a fazer entrar a EDP no mercado eólico chinês.

A CTG já tem uma participação de 23,27% da EDP, sendo o maior accionista da eléctrica, pretendendo com a OPA ter uma posição acima dos 50%.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI