Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

ERSE propõe descida de 3,3% nas tarifas de gás natural

Face ao cenário de pandemia, o regulador revela ainda que está a preparar um conjunto de medidas adicionais para ajudar as famílias que será apresentado "em breve".

Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 31 de Março de 2020 às 19:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) divulgou esta terça-feira a sua proposta para as tarifas a vigorar no mercado regulado de gás natural a partir de outubro.  Uma proposta que surge "num contexto de incerteza devido à pandemia de covid-19, com um impacte potencialmente forte no nível de procura de gás natural", como sublinha o regulador, relembrando que a decisão final será tomada a 1 de junho.

A descida, a ser aprovada, situa-se entre os 3,3%, no caso dos clientes domésticos e vai até aos 17,2% no caso de clientes de alta pressão, ou seja, do segmento empresarial. Na prática, segundo os cálculos da ERSE, pode representar uma poupança de 38 cêntimos numa fatura mensal de 11,6 euros no caso  de um casal sem filhos. Para um agregado familiar com dois filhos, o desconto pode aumentar para 69 cêntimos numa fatura  média de 20,57 euros.

Já os consumidores com tarifa social beneficiarão de um desconto de 31,2%, o qual é "aplicado automaticamente independentemente do consumidor estar no mercado regulado ou no mercado livre", relembra a ERSE.

As novas tarifas vão entrar em vigor a partir de 1 de outubro até setembro de 2021. Até lá, permanecem as tarifas atuais em vigor.

Mais medidas a caminho

No mesmo comunicado, e no quadro da covid-19, a ERSE aproveita para revelar que está a preparar "um conjunto de medidas excecionais adicionais relativas ao fornecimento de energia elétrica e de gás natural  que serão divulgadas em breve".

Para aliviar as famílias portuguesas que estão confinadas em casa, o regulador já tinha avançado com algumas medidas para garantir que não estaria em causa o fornecimento de eletricidade a gás, tais como a proibição dos cortes de fornecimento de energia até ao final de abril, bem como a possibilidade de os consumidores pagarem as faturas a prestações sem juros para os consumidores.

De modo a atenuar os impactos negativos causados pela pandemia, "a ERSE irá prorrogar o prazo de aplicação" destas medidas que integram o regime excecional que está em vigor desde 13 de março, refere o regulador sem detalhar, contudo, os novos prazos.

(Notícia atualizada às 19h16)

Ver comentários
Saber mais ERSE Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos gás natural
Outras Notícias