A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Gasolina deverá ultrapassar a barreira dos 1,5 euros por litro pela primeira vez num ano

Os preços dos combustíveis deverão sofrer um aumento a partir da próxima semana para máximos de cerca de um ano. No caso da gasolina a subida será mais pronunciada.

Bloomberg
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 19 de Fevereiro de 2021 às 15:52
  • Assine já 1€/1 mês
  • 12
  • ...
Os preços dos combustíveis deverão sofrer um novo aumento a partir da próxima segunda-feira, dia 22 de fevereiro, com a gasolina a voltar a ultrapassar a marca dos 1,5 euros por litro, algo que não acontecia há precisamente um ano.

Segundo os cálculos do Negócios, o preço da gasolina simples 95 tem margem para uma escalada de 2 cêntimos por litro para os 1,515 euros, o que representa um máximo desde a semana começada a 24 de fevereiro do ano passado. 

No caso do gasóleo, existe também margem para um aumento de quase 2 cêntimos por litro, subindo assim para os 1,340 euros. A confirmar-se, este será um máximo desde o início de março do ano passado. 

Esta será a terceira subida semanal no caso do gasóleo e a décima quinta semana em que o preço da gasolina aumenta. Em 2021, os preços do gasóleo e da gasolina subiram 7 e 11 cêntimos por litro, respetivamente.

Os preços do petróleo sofreram um aumento esta semana, devido ao mau tempo registado em vários estados dos EUA, com as petrolíferas a serem obrigadas a parar a produção. Ainda assim, o Brent encaminha-se para a segunda sessão consecutiva a cair, depois de ter colecionado 14 sessões em que só pisou o vermelho uma vez. 



Os cálculos têm por base a evolução destes dois derivados do petróleo (gasóleo e gasolina) e do euro. Mas o custo dos combustíveis na bomba dependerá sempre de cada posto de abastecimento, da marca e da zona onde se encontra.

Os novos preços têm em conta as variações calculadas pelo Negócios face ao preço médio praticado em Portugal esta semana e anunciado pela Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Os cálculos do Negócios têm por base contratos diferentes dos seguidos pelas petrolíferas (ainda que a evolução costume ser semelhante), sendo que os dados disponíveis para o Negócios só estão disponíveis até quinta-feira (faltando um dia de negociação).
Ver comentários
Outras Notícias