Energia Governo quer adiar por três anos extinção das tarifas reguladas de eletricidade

Governo quer adiar por três anos extinção das tarifas reguladas de eletricidade

O fim das tarifas reguladas de eletricidade estava previsto para dezembro de 2020. Mas o Governo vai voltar a prolongar o prazo para os consumidores domésticos.
Governo quer adiar por três anos extinção das tarifas reguladas de eletricidade
Lusa
Sara Ribeiro 14 de janeiro de 2020 às 18:46
O Governo quer adiar a extinção das tarifas reguladas, pelo menos para os consumidores domésticos. A "intenção" foi anunciada esta terça-feira no Parlamento pelo ministro do Ambiente, Matos Fernandes, durante a audição no Parlamento no âmbito da apreciação, na especialidade, do Orçamento do Estado para 2020.

O responsável não avançou, nessa altura, mais detalhes sobre o prazo deste novo alargamento - mas fonte do Ministério do Ambiente admitiu depois à Lusa que o período é de três anos.

Na intervenção final na audição, que durou cerca de cinco horas, o ministro confirmou também que o alargamento do prazo é de três anos.

O fim das tarifas reguladas de eletricidade e gás natural estava previsto para dezembro de 2020. Já antes, em 2017, tinha sido adiado.

Ou seja, com esta decisão, os cerca de um milhão de consumidores que ainda estão no mercado regulado vão ter mais tempo para aderirem ao mercado livre – que conta  com perto de cinco milhões de  famílias.

(notícia atualizada às 00:03 de 15 de janeiro com informação da Lusa sobre a duração do adiamento)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI