Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo quer construir nova barragem no rio Ocreza

A Agência Portuguesa do Ambiente vai elaborar um estudo, no prazo máximo de um ano, para concluir se o projeto é viável.

Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 16 de Abril de 2019 às 12:17
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, anunciou que o Governo quer construir uma nova barragem no rio Ocreza, de modo a controlar os caudais do rio Tejo. Para tal, vai pedir uma avaliação à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para perceber se é viável.

"Hoje, conhecemos melhor o Tejo e comparando com os anos anteriores, verificámos uma diminuição significativa dos caudais afluentes, apesar dos mínimos semanais previstos na Convenção de Albufeira estarem a ser cumpridos, o que tem conduzido a um agravamento das condições nas massas de água a jusante, já que as alterações do regime hidrológico têm um forte impacto nos elementos de qualidade", começou por explicar o ministro que está a ser ouvido no Parlamento na Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação.

Tendo em conta a diminuição dos caudais, o Governo considera que é "tempo de iniciar uma discussão técnica e rigorosa em torno da construção de uma barragem no rio Ocreza, o primeiro afluente do Tejo na sua margem direita", revelou.

Matos Fernandes detalhou que não estava a falar do "velho projeto da Barragem do Alvito, pensado para a produção de eletricidade, mas de uma barragem pensada para a regularização do rio Tejo e, como tal, com uma dimensão significativamente maior".

"Portugal tem de ter capacidade para regularizar os caudais do Tejo desde a sua entrada em Portugal, com evidentes ganhos ecológicos e para a estabilidade dos seus usos, diretos e indiretos. Temos, já hoje, essa capacidade a jusante da foz do Zêzere, não o temos a montante, mesmo com o esforço já concretizado dos caudais mínimos diários de Fratel e Belver", sublinhou.

Por estes motivos, "serão, em breve, dadas indicações à APA para iniciar uma primeira avaliação para esta barragem e albufeira. Sabemos bem os impactes ambientais que a mesma poderá provocar e, por isso, de forma absolutamente transparente, eles terão de ser pré-avaliados com o propósito de, no prazo máximo de um ano, podermos estar em condições de tomar uma decisão", assegurou.

 

Ver comentários
Saber mais João Matos Fernandes ministro do Ambiente APA Ocreza barragem
Outras Notícias