Energia Iberdrola “rouba” à Endesa o segundo lugar do mercado liberalizado de electricidade

Iberdrola “rouba” à Endesa o segundo lugar do mercado liberalizado de electricidade

Com a EDP a conservar a liderança do mercado livre, a Endesa deixou escapar a segunda posição para a Iberdrola, que em Dezembro reforçou a sua quota de mercado no fornecimento a clientes industriais em Portugal, segundo os mais recentes dados da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.
Iberdrola “rouba” à Endesa o segundo lugar do mercado liberalizado de electricidade
Bloomberg
Miguel Prado 28 de janeiro de 2014 às 06:00

A Iberdrola terminou 2013 como segundo maior fornecedor de electricidade no mercado liberalizado português, conquistando a posição que até Novembro era da Endesa, mostram os mais recentes números divulgados pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

 

Em Dezembro a Iberdrola atingiu uma quota de 21,3% no volume de electricidade fornecida no mercado liberalizado, ligeiramente acima dos 21% de Novembro. Já a Endesa viu a sua quota nos abastecimentos de electricidade cair de 21,3% para 20%, segundo as informações da ERSE.

 

O primeiro lugar no mercado liberalizado de electricidade permaneceu com a EDP Comercial, que reforçou a sua quota, de 43,6% em Novembro para 44,2% em Dezembro. O valor mais alto alcançado pela EDP no ano passado foi registado em Outubro, mês em que a companhia presidida por António Mexia estava a fornecer 45% da electricidade consumida no mercado livre.

 

O quarto maior operador do mercado liberalizado continuou a ser em Dezembro a Galp Energia, cuja quota se manteve inalterada em 5,9%, seguida da Gas Natural Fenosa, com 4,1%, e da Fortia, com 4%.

 

Em número de clientes, a liderança da EDP é mais acentuada, reflectindo a sua maior exposição ao segmento doméstico. A EDP Comercial terminou 2013 com 84,2% dos clientes do mercado livre (acima dos 83,7% de Novembro). Já a Endesa viu a sua quota de consumidores descer de 7,7% para 7,2%. O terceiro “player” por número de clientes é a Galp, com uma quota de 5,1% (igual à de Novembro), seguida da Iberdrola, com 2,8%, e da Gas Natural Fenosa, com 0,7%.

 

Iberdrola é “mais líder” no consumo industrial

 

Uma das explicações para o reforço da espanhola Iberdrola no mercado liberalizado é a consolidação da sua liderança no segmento industrial, uma das classes de consumo que mais pesam no volume total de electricidade do mercado liberalizado. A Iberdrola voltou a ser em Dezembro o maior fornecedor de clientes industriais, com 32,1% dos abastecimentos, acima dos 31% de Novembro.

 

A EDP, que liderou o segmento industrial até Outubro de 2013, ficou mais para trás nesta classe de consumo, com a sua quota a fixar-se em 28,6% em Dezembro, não só abaixo da Iberdrola mas também da Endesa (com 28,8% de quota).

 

De resto, em todas as outras classes de consumo a EDP manteve o primeiro lugar. Na categoria de “grandes consumidores”, a eléctrica portuguesa reforçou a sua quota de 34,5% para 35,2%, ampliando a distância para a Endesa, que terminou 2013 com 19,5% dos fornecimentos a grandes consumidores. Nos pequenos negócios a EDP assegurou em Dezembro uma posição de 46,4% (eram 46,5% em Novembro), mais do dobro da quota da Iberdrola (22,1%). 

 

No que diz respeito ao volume fornecido a clientes domésticos, a quota da EDP em Dezembro fixou-se em 81,8%, ligeiramente acima da obtida em Novembro, enquanto a Endesa recuou de 6,7% para 6,2%, vendo aproximar-se a Iberdrola, cuja posição no segmento doméstico passou de 5,3% para 5,5%. A Galp conservou, inalterada, a sua quota de 4,2%.

 

Mercado liberalizado já tem mais de 2,2 milhões de clientes

 

Os números agora publicados pela ERSE revelam que no final de 2013 o mercado liberalizado de electricidade em Portugal já tinha mais de 2,2 milhões de clientes, beneficiando da entrada de quase 129 mil consumidores só no mês de Dezembro.

 

No segmento doméstico, os 2,2 milhões de clientes que já migraram para o mercado liberalizado estão ainda aquém cerca de 3,8 milhões que permanecem nas tarifas transitórias (reguladas), e que têm até ao final de 2015 para aderir ao mercado livre.

 

No último mês do ano o mercado livre passou a representar 72,6% de toda a electricidade fornecida em Portugal, um valor não só acima dos 71,5% de Novembro mas também mais elevado que os 60,2% de Dezembro de 2012.

 

No mercado, além da EDP, Iberdrola, Endesa, Galp, Gas Natural Fenosa e Fortia, a ERSE também considerou os dados, ainda que residuais, de outros comercializadores, como a Audax, a Enat, a Axpo e a Enforcesco. Houve, contudo, um comercializador que já cessou a sua actividade em Portugal, a Nexus, que deixou de comercializar electricidade em Portugal desde Junho de 2013, segundo a ERSE.




Marketing Automation certified by E-GOI