Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Investimentos petrolíferos na Noruega devem recuar cerca de 20% em 2016

A queda de preços do petróleo dita o recuo do investimento no sector petrolífero norueguês em 2016, país onde um em cada nove postos de trabalho dependem do sector. Esta realidade ameaça empurrar a economia norueguesa para uma recessão, alerta a Bloomberg.

Bloomberg
Inês F. Alves inesalves@negocios.pt 24 de Novembro de 2015 às 13:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O maior produtor de petróleo de gás da Europa ocidental vai ver os seus investimentos recuar cerca de um quinto no próximo ano, comparativamente a 2014, à medida que a indústria se adapta à manutenção de preços consideravelmente mais baixos no sector, escreve a Bloomberg.

Investimentos realizados pelas companhias e petróleo e gás na Noruega vão cair para 171 mil milhões de coroas (cerca de 18,5 mil milhões de euros) em 2016, menos 5,6% do que na anterior estimativa, de acordo com dados do instituto de estatísticas norueguês. A estimativa para este ano foi pouco alterada, totalizando 192,8 mil milhões de coroas (cerca de 21 mil milhões de euros), ainda assim muito abaixo das 214,3 mil milhões de coroas (cerca de 23,2 mil milhões de euros) gastas em 2014.

As empresas petrolíferas da Noruega reduziram a sua estimativa de gastos em exploração para o próximo ano em 35% face às estimativas do anterior trimestre, e prevêem uma "forte queda" no número de extracções no mar, informou o instituto de estatísticas norueguês em comunicado.

Esta realidade ameaça atirar a Noruega para uma recessão económica, escreve a Bloomberg, que avança com a notícia. Os produtores de crude e firmas de serviços como a Statoil, detida pelo Estado, anunciaram mais de 25 mil cortes de postos de trabalho, lançando o alerta numa economia onde um em cada nove empregos depende do sector.

"É claro que as perspectivas para a economia norueguesa serão fracas no próximo ano e por algum tempo", diz Marius Gonsholt Hov, economista do Svenska Handelsbanken.

Escreve a Bloomberg que estes dados podem não alterar as decisões do banco central da Noruega já em Dezembro, mas podem impactar as perspectivas da entidade para 2016 e 2017.

O banco central da Noruega baixou as taxas de juro no ano passado para um mínimo recorde de 0,75% e assinalou a possibilidade de mais recuos no futuro. As estimativas mais recentes do banco mostram que os investimentos no sector petrolífero vão cair 12,5% este ano e 10% no próximo.

Ver comentários
Saber mais Noruega Bloomberg Marius Gonsholt Hov economia negócios e finanças energia economia (geral) empresas petróleo Statoil
Outras Notícias