Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

REN soma mais de 1,5% no primeiro dia da OPV

Os investidores que querem comprar as acções da REN até aqui nas mãos do Estado já o podem fazer. O preço ainda não está fixado e poderá depender da evolução das acções. Os títulos já cotados em bolsa subiram hoje.

Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 02 de Junho de 2014 às 17:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As acções da REN fecharam a sessão desta segunda-feira com um ganho de mais de 1,5%. Este foi o primeiro dia da oferta pública de venda dos novos títulos, 11% do capital até aqui detidos pelo Estado através da Caixa Geral de Depósitos e Parpública.

 

A cotação de fecho da empresa presidida por Rui Vilar (na foto) foi de 2,76 euros, reflexo da subida de 1,62% face ao valor de sexta-feira. Foi o terceiro dia consecutivo de avanços. As acções chegaram a tocar hoje nos 2,775 euros.

 

Foram negociados cerca de 810 mil títulos da REN na sessão desta segunda-feira, quando a média é de 339 mil acções a trocarem de mãos. Foi o maior volume desde meados de Maio.

 

O Estado, através da Parpública e da CGD, já está a alienar os restantes 11% da empresa ainda na sua mão, após a privatização de 2012. O prospecto da operação foi publicado no sábado passado, 31 de Maio, depois de autorizado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). E, desde a manhã desta segunda-feira 2 de Junho, os investidores já podem subscrever essas acções.

 

A maior fatia de toda a operação de alienação da participação estatal destina-se aos investidores institucionais (cerca de 47 milhões de acções, 8,8% do capital social). Os restantes 11,7 milhões de títulos, 2,2%, serão dedicados à oferta pública de venda aos pequenos investidores.

 

Estes investidores já podem mostrar o interesse pelos títulos. Até 4 de Junho, quarta-feira, o rateio (um mecanismo que distribui as acções se houver um excesso de procura) será mais favorável. Depois, até ao final do período, 12 de Junho, a oferta irá estender-se com um rateio com condições menos positivas.

 

De qualquer modo, os investidores não saberão o preço a que irão subscrever as novas acções da REN. O valor será definido mais tarde: será o resultado do menor preço entre o preço da venda a institucionais e a média ponderada da cotação das acções da empresa nas cinco sessões até ao final da OPV. A cotação de fecho de hoje não tem ainda esta possível influência directa.

 

"Caso as acções venham a ser integralmente alienadas, estima-se que o montante total da oferta seja de 155,1 milhões de euros, apurado assumindo a cotação do dia 28 de Maio de 2014 (ou seja, 2,641 euros por acção) e o desconto de 5% para as acções a alienar a trabalhadores da REN", estima o Estado.

 

No prospecto, a empresa liderada por Rui Vilar admite que pretende "manter ou aumentar progressivamente os seus dividendos". Contudo, a meta poderá estar em causa, defende a REN, nomeadamente se a Contribuição Extraordinária para o Sector Energético for aplicada para lá de 2014.

Ver comentários
Saber mais REN Rui Vilar OPV
Outras Notícias