Imobiliário Avenue investe 150 milhões no Parque das Nações

Avenue investe 150 milhões no Parque das Nações

A promotora imobiliária Avenue estreia-se no segmento dos escritórios com um investimento de 150 milhões de euros na criação do projecto Exeo Office Campus no Parque das Nações, em Lisboa, disse à Lusa o director-geral da empresa.
Avenue investe 150 milhões no Parque das Nações
Negócios com Lusa 19 de maio de 2018 às 17:09

"A nossa decisão de investimento deve-se a uma falta de oferta de qualidade no mercado porque, de facto, registámos uma taxa de disponibilidade [na área dos escritórios] de Lisboa na ordem dos 8,6% e, na zona do Parque das Nações, a taxa é de 2,8%", disse Aniceto Viegas em declarações à Lusa.

 

De acordo com o responsável, na última década "construíram-se poucos escritórios e os que foram construídos já tinham utilizador definido".

 

Em causa, está a construção de um projecto composto por três edifícios - Aura, Echo e Lumnia -, com uma área total de 69 mil metros quadrados, envolvendo ainda uma área exterior de 1,3 hectares.

 

"Pretende-se criar um campus de escritórios de uma nova geração que vai estar em linha com as novas formas de trabalho, ou seja, uma preocupação em poder ter um espaço de trabalho mais convencional no interior, mas também com a preocupação de ter espaços de trabalho exteriores, para que as pessoas se possam reunir informalmente ou fazer uma pausa para almoço", acrescentou. 

 

Da área total das infra-estruturas, 1.800 metros quadrados do piso inferior serão dedicados à criação de "um espaço de apoio" para os trabalhadores do campus.

 

"O nosso objectivo é ter, por exemplo, um ‘coffe shop' com esplanadas exteriores e zonas de restauração, um 'food market' e, eventualmente, uma zona de lazer com ginásio e alguns serviços de dia-a-dia, como lavandaria", explicou Aniceto Viegas.

 

Para já, está previsto que a área comercial tenha sete espaços, no entanto existe "flexibilidade para que a área seja mais compartimentada".

 

Apesar do aluguer dos escritórios só avançar após o lançamento comercial do projecto, que decorre em Junho, o director-geral da Avenue revela que o espaço está pensado para servir "qualquer tipo de empresa, desde as mais pequenas até às maiores".

 

"Não é também impossível que um dos grandes edifícios possa pertencer a uma única entidade, [da mesma forma], poderemos ter mais que uma empresa no mesmo edifício. Obviamente, a nossa preferência seria ter utilizadores de maior dimensão", apontou.

 

A primeira fase da obra, dotada com um investimento de 100 milhões de euros, sendo 50% de capitais próprios, está prevista iniciar-se entre Junho e Julho. A totalidade da obra deverá estar concluída até 2022. 

(Notícia corrigida com o nome do director-geral alterado)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI