Imobiliário Brasileiros investem oito milhões no Sheraton Porto com a abertura de Casa de luxo na Foz 

Brasileiros investem oito milhões no Sheraton Porto com a abertura de Casa de luxo na Foz 

A HDP, empresa proprietária dos imóveis que acolhem os Sheraton de Lisboa e e Porto e dois hotéis no Algarve, está a investir perto de oito milhões de euros na remodelação da unidade portuense e na abertura da Casa de Montevideu, na zona da Foz.
Brasileiros investem oito milhões no Sheraton Porto com a abertura de Casa de luxo na Foz 
Rui Neves 11 de julho de 2019 às 11:40

A comemorar 15 anos, o Sheraton Porto, que se situa à boca da Avenida da Boavista, assinala o aniversário com a "descida" da maior avenida do país até à Foz, assumindo a gestão da nova Casa de Montevideu, que é detida pela mesma sociedade proprietária do imóvel do hotel.

"Decidimos alavancar a nossa atividade dentro do Porto, ficando com a gestão do espaço e serviço de ‘catering’ da Casa de Montevideu, um espaço dedicado à organização de eventos, com capacidade para 200 pessoas, que vem complementar a nossa oferta", anunciou Joana Almeida, diretora do Sheraton Porto Hotel & Spa, esta quinta-feira, 11 de julho, num encontro com jornalistas.

Somado o valor de aquisição e adaptação da Casa de Montevideu às suas novas funções e os "cerca de dois milhões de euros" nas obras de remodelação do Sheraton Porto, a concluírem este ano, o investimento da HDP, grupo controlado por capitais brasileiros, "foi de entre sete e oito milhões de euros", avançou Joana Almeida.

O grupo HDP é também dono do edifício do Sheraton Lisboa e de dois hotéis no Algarve.

A diretora do Sheraton Porto, que tem 265 quartos, prevê fechar as contas deste ano com receitas de 14,8 milhões de euros, mais 800 mil euros do que ano passado, e uma taxa de ocupação de "77% a 79%".

Com "a componente nacional" à frente, o Sheraton Porto tem também como grandes mercados clientes "de Espanha, França e Inglaterra", e cada vez mais "americanos e brasileiros", sendo que "já verificamos um aumento [de clientes] da Ásia desde que a Emirates começou a operar" a partir do Porto, a 2 de julho, detalhou Joana Almeida. 

Sobre a anunciada abertura de mais algumas dezenas de hotéis no Invicta, Joana Almeida manifestou a sua apreensão com a qualificação do destino Porto. "O que me preocupa é a sustentabilidade do destino a médio e longo prazo, pois há que criar mecanismos de atração e repetição", defendeu.

"Mas nunca voltaremos ao período pré-crise, quando o destino Porto não era conhecido", rematou a mesma gestora. 

Os três Sheraton (Porto, Lisboa e Cascais) em Portugal são geridos pelo grupo internacional Marriott, que detém mais seis hotéis no nosso país, que operam sob outras marcas, e prepara-se para abrir mais dois em Lisboa, da marca Moxy, de três estrelas, e virados para um público mais jovem.

 
(notícia atualizada às 12:40 com mais informação)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI