Imobiliário Edifício Marconi: das telecomunicações aos "call centers"

Edifício Marconi: das telecomunicações aos "call centers"

Foi construído para ser sede da Marconi. Foi sede da TMN. E vendido à Caixa Geral de Depósitos, que tem agora um novo inquilino: Teleperformance. São centros de atendimento que vão estar a partir de Outubro no edifício Marconi, em Lisboa.
Edifício Marconi: das telecomunicações aos "call centers"
Cátia Barbosa
Alexandra Machado 15 de setembro de 2015 às 20:30

O emblemático edifício da Marconi ficou vazio no final do ano passado e agora vai ter novo inquilino. A Teleperformance arrendou o espaço que em tempos foi propriedade da Marconi e que transitou para o grupo Portugal Telecom que, mais tarde, o vendeu a um fundo imobiliário da Caixa Geral de Depósitos. Hoje o edifício é propriedade do banco público.


A empresa de "contact centres" confirmou ao Negócios que é inquilina do espaço, onde a partir de Outubro prevê a abertura de "contact center" (centros de atendimento telefónicos) nesse edifício na Avenida Álvaro Pais, em Lisboa, que diz ficar com uma capacidade para mais de três mil postos de trabalho.


"A nova localização junto aos terrenos da antiga feira popular é o sétimo ‘contact center’ da multinacional em Portugal, que conta com escritórios no Parque das Nações (dois ‘contact centers’), Estefânia, Setúbal e Covilhã", nos quais emprega mais de cinco mil colaboradores, de 56 nacionalidades. Facebook, Netflix, Nos, eBay são alguns dos clientes, acrescenta a Teleperformance em comunicado.


O edifício no qual a Teleperformance se vai instalar é, em Lisboa, emblemático. Foi inaugurado em 1992 para aí ser instalada a Companhia Portuguesa Rádio Marconi. Foi, aliás, pensado para essa empresa que, antes da criação do Grupo Portugal Telecom, tinha a responsabilidade das  chamadas internacionais. E, por isso, o edifício branco representavam as ondas hertzianas.


Em 1994, a Marconi foi integrada no grupo Portugal Telecom, que juntou, ainda, os TLP, a Telecom Portugal e a TDP. Permaneceu nesse grupo até 2007, ano em que a Portugal Telecom vendeu o activo a um fundo de investimento imobiliário da Caixa Geral de Depósitos, então designado Fundimo. A TMN estava então aí sedeada. E aí permaneceu com um contrato de arrendamento. E que findou em 2014. Ano em que a vida da PT mudou em definitivo.


Os servidores de toda a operação móvel da TMN passaram para a Covilhã e a empresa libertou o edifício. Fechou-se, também aqui, um ciclo. O edifício Marconi, como é designado, passa agora a albergar "contact centres".  

Da autoria arquitectónica de Raúl Martins, a fachada é revestida com painéis de alumínio branco. Espiga Pinto é o artista plástico que concebeu a escultura em bronze "Mapa da memória inicial" que se vê à entrada do edifício na Avenida Álvaro Pais. Escultura que ganhou um prémio nesse mesmo ano.




pub