Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mais de um quarto do investimento imobiliário em Portugal foi feito por franceses

O relatório Marketbeat Portugal Outono 2016, da Cushman & Wakefield, revela que os franceses e ingleses dominam a origem do capital, nos investimentos imobiliários.

Alexandra Noronha anoronha@negocios.pt 28 de Setembro de 2016 às 16:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 8
  • ...

O sector imobiliário nacional está dominado por investidores estrangeiros. Segundo o relatório Marketbeat Portugal Outono 2016, da Cushman & Wakefield 93% do total do investimento tem origem fora de Portugal, com os franceses a representarem 27%, um valor semelhante aos britânicos. 

O relatório salienta ainda que o peso de capitais norte-americanos já chega aos 21% e que o maior volume de negócios está no sector dos escritórios, com 51%. No primeiro semestre , o mercado gerou 872 milhões de euros, menos 19% que em 2015 "mas triplicando a média da ultima década", salientou o mesmo relatório.


Quanto aos segmentos, o relatório referiu que no retalho "os centros comerciais mantêm-se o formato preferencial de expansão (59%) mas o comércio de rua aumenta a representatividade com 39% das operações estudadas".


Nos escritórios, foram transaccionados 79.500 metros quadrados, mais "57% que no primeiro semestre de 2015 e o dobro da média dos últimos cinco anos", adiantou a Cushman.


Na parte industrial, os sinais de retoma ainda não chegaram ao imobiliário, salientou o relatório.


O segmento residencial mantém o crescimento na procura e os valores estão a subir. Os investidores estrangeiros são maioritários no mercado, mas os portugueses já representam 39%.


O sector hoteleiro está em expansão acelerada, com 8,5 milhões de hóspedes entre Janeiro e Junho, mais 10,8% do que em 2015. Os proveitos subiram 16,5% para 1.160 milhões de euros. O relatório recorda que foram inaugurados 36 novos hotéis até Setembro (1.800 quartos) e estão mais 26 previstos para Dezembro (1.200 camas). Até 2018 deverão abrir 40 novas unidades hoteleiras, num total de 3.300 camas.

Os dados conhecidos esta quarta-feira dizem respeito a um período anterior ao debate sobre o novo imposto sobre imóveis

Ver comentários
Saber mais Cushman & Wakefield Marketbeat Portugal turismo imobiliário investimento
Outras Notícias