Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mapa: Como estavam os preços das casas no seu concelho antes da pandemia

Veja o preço mediano das casas vendidas em todos os concelhos de Portugal no quarto trimestre.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

(Nota: Clique em cada concelho para ver a evolução dos preços nos últimos trimestres. Se está a ver esta notícia na aplicação clique aqui)

 

Os preços da habitação em Portugal atingiram um novo recorde em 2019, mas a pandemia da covid-19 deverá colocar um travão no setor imobiliário, que também não deverá escapar ao impacto da recessão económica a nível global.

 

Os dados revelados pelo INE esta semana mostram que quarto trimestre o preço mediano das casas vendidas em Portugal fixou-se em 1.081 euros por metro quadrado, valor que representa uma subida homóloga de 8,5%, a mais expressiva desde que esta série estatística foi iniciada.

 

O INE assinala que os dados do quarto trimestre ainda não refletem o impacto da pandemia do coronavírus no mercado habitacional, pelo que poderão "distanciar-se das condições e tendências mais atuais do mercado". Ainda assim, ressalva, "são relevantes para estabelecer um ponto de partida para avaliar o impacto da pandemia".

Como é visível no mapa em cima, é no litoral que estão os concelhos com as casas mais caras, sobretudo nas zonas em redor de Lisboa e Porto, bem como no Algarve.

 

Lisboa mantém-se como a cidade mais cara do país, com um valor mediano de 3.247 euros por metro quadrado, o equivalente a uma subida de 7,87% em relação ao quarto trimestre de 2018. Os preços de Lisboa continuam a ser três vezes mais elevados do que a mediana nacional.

Já no Porto, o valor mediano fixou-se em 1.837 euros por metro quadrado no final do ano passado, uma subida de quase 14% em relação a 2018 e de 1,9% face ao terceiro trimestre do ano passado.

O INE identificou 45 municípios onde os preços ficaram acima da mediana nacional, a maioria dos quais no Algarve e na Área Metropolitana de Lisboa.

Já os preços mais baixos foram registados no Alto Alentejo, Beiras e Serra da Estrela e no Baixo Alentejo.

Considerando apenas as cidades com mais de 100 mil habitantes, todas registaram um aumento dos preços. A Amadora apresentou a maior subida homóloga, superior a 20%, seguindo-se Vila Nova de Gaia, com um crescimento de 19%, e Braga, onde os preços aumentaram 17,8%. Braga foi, ainda assim, a única cidade com mais de 100 mil habitantes que registou um preço (de 946 euros por metro quadrado) inferior ao valor nacional.

Ver comentários
Saber mais preços das casas imobiliário INE
Mais lidas
Outras Notícias