Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Número de casas avaliadas pelos bancos cai 8,7%

As instituições bancárias avaliaram, em setembro, 25.834 casas para conceder crédito. O número fica 8,7% abaixo das casas avaliadas no período homólogo e menos 438 avaliações (1,7%) face a agosto. É o quarto mês consecutivo que encolhe o número de casas avaliadas pela banca.

Orçamento do Estado prevê três medidas para combater custos crescentes do crédito à habitação.
Sérgio Lemos
Ana Petronilho anapetronilho@negocios.pt 27 de Outubro de 2022 às 11:23
  • Partilhar artigo
  • ...
Setembro registou, pelo quarto mês consecutivo, uma queda no número de casas avaliadas pelos bancos para conceder crédito à habitação.

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, as instituições bancárias avaliaram, em setembro, 25.834 casas, das quais 16.325 foram apartamentos, a que se somam 9.509 moradias. O número fica 8,7% abaixo das casas avaliadas em setembro de 2021 e menos 438 avaliações (1,7%) face a agosto.

Os números do INE revelam que o valor mediano atribuído pelos bancos fixou-se em 1.429 euros por metro quadrado, tendo aumentado 15,6% face ao valor atribuído pela banca no período homólogo e tendo crescido 15 euros (mais 1,1%) face a agosto, quando a avaliação foi de 1.414 euros por metro quadrado.


O maior aumento face ao mês anterior registou-se na Madeira que passou de 1.385 euros por metro quadrado em agosto para 1.400 euros em setembro (mais 1,1%). A única descida foi registada nos Açores com o valor atribuído pelos bancos a cair 0,6%.  

Entre os apartamentos, o valor mediano de avaliação bancária foi 1.591 euros por metro quadrado. Mais 16,2% face ao período homólogo e mais 0,9% quando comparado com o mês de agosto.


Os valores mais elevados foram observados no Algarve com 1.949 euros por metro quadrado  e na área metropolitana de Lisboa com 1.888 euros por metro quadrado. O Alentejo registou, em setembro, o valor mais baixo com 1.024 euros por metro quadrado.


Os Açores registaram o crescimento homólogo mais expressivo (27,2%) e, no reverso, a Madeira apresentou o menor (7,3%).

Para as moradias o valor mediano da avaliação bancária foi de 1.136 euros por metro quadrado, crescendo 13,8% face ao período homólogo e 0,9% face a agosto.


Também nesta tipologia os valores mais elevados foram registados no Algarve com 2.019 euros por metro quadrado (subindo 24,4% face ao período homólogo) e na área metropolitana de Lisboa com 1.961 euros por metro quadrado.


Os valores mais baixos foram registados no Alentejo e no Centro com 907 euros por metro quadrado e 923 euros, respetivamente.

Ver comentários
Outras Notícias