Imobiliário Os países com maiores riscos de bolha imobiliária

Os países com maiores riscos de bolha imobiliária

Os países com maiores riscos de viverem uma bolha imobiliária são Canadá e Nova Zelândia, de acordo com a Bloomberg. Portugal não está entre os países mais preocupantes, ainda que o nível dos preços dos imóveis face a 2015 seja o mais elevado entre 22 países.
Os países com maiores riscos de bolha imobiliária
Negócios com Bloomberg 14 de julho de 2019 às 16:53

Canadá e Nova Zelândia são as economias mais vulneráveis a uma correção dos preços das casas, com a Austrália e o Reino Unido a também representarem preocupação, segundo um novo estudo da Bloomberg Economics.

 

Ao procurar construir um "painel de bolhas imobiliárias", o economista Niraj Shah estudou rácios de preços de casas e rendimentos, bem como os preços ajustados à inflação e o crédito dos particulares.

 

Os resultados mostram que o Canadá e a Nova Zelândia parecem estar no caminho mais insustentável, com o custo da habitação comparado com os rendimentos a ser o mais alto do mundo nos dois países.

 

Os alarmes também estão a tocar na Austrália, Noruega, Suécia e Reino Unido, afirma Niraj Shah.

 

No caso de Portugal, como se pode ver na imagem que ilustra o "ranking", os níveis face a 2015 não estão elevados, com a excepção de um, o do preço do imobiliário. Neste indicador, Portugal é mesmo o que regista o nível mais elevado dos 22 países identificados na imagem. Ainda assim, segundo os restantes indicadores, não está entre as regiões mais preocupantes no que respeita a uma bolha imobiliária.

 

As autoridades já estão a atuar. O governo do Canadá implementou um imposto cobrado a compradores estrangeiros, enquanto a aquisição de imóvel por estrangeiros foi banida na Nova Zelândia.O próximo desafio vai ser onde se os preços vão continuar a subir com a Reserva Federal e outros bancos centrais a prepararem-se para cortar as taxas de juro.

 

"Há um risco de que um alívio na política monetária global possa alimentar bolhas imobiliárias", salientou o economista. "Enquanto os banqueiros centrais estão focados em evitar uma recessão económica mundial, políticas monetárias mais expansionistas podem ser as sementes da próxima crise", acrescentou.

 

(Texto original: These Are the Countries Most at Risk of Housing Bubbles)

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI