Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sonae Imobiliária prevê investir 160 milhões de euros no Brasil

A Sonae Imobiliária prevê investir 160 milhões de euros na construção, ampliação e reformas de centros comerciais no Brasil nos próximos cinco anos, disse Pessoa Jorge, responsável máximo pelas actividades da empresa em território brasileiro.

Bárbara Leite 26 de Novembro de 2004 às 17:08

A Sonae Imobiliária prevê investir 160 milhões de euros na construção, ampliação e reformas de centros comerciais no Brasil nos próximos cinco anos, disse Pessoa Jorge, responsável máximo pelas actividades da empresa em território brasileiro.

 

Assim, nos próximos cinco anos a Sonae Imobiliária vai investir tanto quanto investiu desde que está no Brasil em 1999. Até hoje, o grupo gere sete «shoppings», que representam 5% da facturação do grupo.

Ao jornal brasileiro «Valor Económico», Pessoa Jorge adiantou ainda que o Brasil pode vir a ocupar 20% da carteira imobiliária do grupo que hoje é avaliada em 2,8 mil milhões de euros.

Depois do discurso de «stand by» dos investimentos no imobiliário no Brasil, a Sonae Imobiliária veio dizer ao mercado que precisava de parceiros para continuar os investimentos.

Sobre estas potenciais parcerias, nada é destacado no referido jornal. Pessoa Jorge salienta que somente o Fundo Sierra, lançado pela Sonae que reúne os activos de centros comerciais em Espanha e em Portugal pode investir no Brasil.

No último comunicado do grupo foi colocada a hipótese de ser lançado um fundo semelhante ao Sierra só para o Brasil que integraria o activo «shopping» Dom Pedro, o maior do Brasil e da América Latina, um dos dois que a Sonae detém a 100%.

Quanto a novas apostas, Pessoa Jorge confirma o interesse no centro comercial em Porto Alegre, tal como Sérgio Maia, presidente da Sonae Distribuição tinha admitido recentemente. O novo empreendimento vai surgir onde hoje a Sonae tem um hipermercado sob a marca BIG.

Salvador e Florianópolis são outros potenciais destinos do investimento da Sonae Imobiliária para os próximos anos. Além do mais, o grupo vai retomar a vontade de investir em Curitiba (Paraná), onde previa investir 150 milhões de reais (41 milhões de euros), segundo tinha dito o responsável ao Jornal de Negócios.

Para o responsável da Sonae, o Brasil tem ainda capacidade para receber quatro vezes mais «shoppings« dos que os actuais, salientando a satisfação com os números das vendas internas este ano.

Alguns dos centros comerciais do grupo tiveram um crescimento das vendas 10% acima da inflação.

*Correspondente em São Paulo

Outras Notícias
Publicidade
C•Studio