Indústria Fisipe quer avançar para despedimento colectivo de 60 trabalhadores

Fisipe quer avançar para despedimento colectivo de 60 trabalhadores

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul – Sitesul acusou hoje a administração da Fisipe de querer avançar com um despedimento colectivo de 60 trabalhadores até ao próximo mês de Agosto.
Fisipe quer avançar para despedimento colectivo de 60 trabalhadores
Lusa 24 de abril de 2018 às 20:49

"Os trabalhadores foram informados da intenção da Fisipe de proceder ao despedimento colectivo, que deverá ter lugar até ao mês de agosto, alegadamente porque a empresa pretende fechar a linha de produção de fibra acrílica, mas nós pensamos que a empresa poderia recorrer a outras medidas previstas na Lei e que poderiam evitar os despedimentos", disse à agência Lusa Esmeralda Marques, do Sitesul.

 

"A administração comunicou aos trabalhadores que pretende continuar a apostar na fábrica do Lavradio, com uma linha de produção de fibra de carbono, pelo que poderia manter estes 60 trabalhadores, dar-lhes formação ou aproveitá-los para alguns serviços que são contratados a empresas externas", acrescentou.

 

Segundo Esmeralda Marques, a empresa não só comunicou a intenção de proceder ao despedimento colectivo de 60 trabalhadores como também manifestou a intenção de retirar o apoio médico que dá a ex-trabalhadores. "Alguns desses trabalhadores têm doenças profissionais contraídas ao serviço da empresa", disse.

 

Esmeralda Marques referiu ainda que já foram solicitadas reuniões com a Câmara Municipal do Barreiro, mas também com o Ministério da Economia e com o Ministério do Trabalho.

 

"Pensamos que é preciso avaliar bem a situação, até porque a Fisipe beneficiou, há cerca de cinco anos, de fundos comunitários para desenvolver alguns projectos", disse a dirigente do SITESUL, que não foi capaz de precisar que tipo de projectos e qual o financiamento comunitário que terá sido atribuído à empresa do concelho do Barreiro, no distrito de Setúbal.

 

Num plenário realizado no passado sábado, os trabalhadores decidiram avançar desde já com uma ação de protesto contra o despedimento colectivo, que passa por uma concentração e realização de um novo plenário junto à entrada da empresa, a partir das 09:00 do próximo dia 02 de maio.

 

A Fisipe é uma empresa produtora de fibras têxteis standard e de fibras acrílicas especiais, nomeadamente fibras pré-tintas, funcionais e para aplicações técnicas, que exporta quase toda a produção (99%).

 

Como refere a própria empresa na página oficial na internet, a Fisipe pretende fazer a conversão gradual de algumas linhas de produção de fibras têxteis já existentes para a produção destas novas fibras de elevada qualidade (PFC).  

 

A agência Lusa tentou ouvir a administração da Fisipe, mas não foi possível estabelecer contacto.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI