Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Presidente da Bosch entra para Portucel em momento de mudanças na papeleira e na Semapa

Houve alterações nas administrações da Portucel e da Semapa. João Paulo Oliveira já pôde sair da Bosch para ir para a papeleira. Na Semapa, Queiroz Pereira já não é CEO, tendo sido substituído por João Castello Branco.

Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 02 de Julho de 2015 às 20:46
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

O presidente da Bosch já está na gestão e na administração da Portucel. João Paulo Oliveira entra em funções em Julho, como revelou esta quinta-feira, 2 de Julho, a empresa. Vai trabalhar na expansão internacional da papeleira.

 

O nome do antigo responsável pela unidade portuguesa do grupo tecnológico Bosch já havia sido anunciado em Março. Mas não foi um dos nomes que constou na lista proposta para o conselho de administração que iniciou funções no mês seguinte. Os "compromissos" que João Paulo Oliveira tinha na altura, nomeadamente assegurar a transição na Bosch, impediram a designação.

 

Em Julho, tais compromissos já não existem, pelo que o gestor vai para o lugar de administrador até aqui ocupado por Francisco Castro Guedes, numa troca que já estava acordada.

"O conselho de administração da Portucel S.A., na sequência da apresentação da renúncia ao exercício do cargo de administrador da sociedade pelo Sr. Dr. Francisco José Melo e Castro Guedes e, considerando a inexistência de administradores suplentes, deliberou por unanimidade, proceder, nos termos da alínea b) do nº 3 do art.º 393º do Código das Sociedades Comerciais, à substituição do administrador renunciante por cooptação, designando-se para o efeito o Sr. Eng.º João Paulo Araújo Oliveira para o desempenho do cargo de administrador, no mandato do quadriénio em curso", indica o comunicado.

 

Mas João Paulo Oliveira não se ficará pela administração. Vai integrar, igualmente, a comissão executiva. Em Abril, foi noticiado que iria assegurar a expansão internacional da empresa, depois de ter sido anunciados, pela Portucel, a construção de uma fábrica de pellets (concentrados de madeira utilizados como combustível) no Estado norte-americano da Carolina do Sul e o projecto integrado que está a desenvolver em Moçambique.

 

Na comissão executiva da empresa, cujo presidente é Diogo da Silveira, o antigo presidente da tecnológica vai ocupar o lugar de Adriano Silveira, que continuará, contudo, a fazer parte do conselho de administração, ainda que em "funções não executivas". A comissão executiva da papeleira portuguesa tem cinco membros, enquanto a administração, sob o comando de Pedro Queiroz Pereira, conta com 11 elementos.

 

Semapa com novo CEO

 

Estão são mudanças que ocorrem na cúpula da Portucel mas também na Semapa, que tem 75% da papeleira, ocorreram alterações. No caso da "holding", que além da Semapa tem a cimenteira Secil, as alterações foram reveladas na quarta-feira e o motivo também terá passado pelo pendor internacional.

 

Aí, o conselho de administração cooptou João Castello Branco para vogal, "preenchendo o lugar que se encontrava vago". Castello Branco entra, também, para a presidência executiva da empresa, como já anunciado no início de Junho, "na sequência da renúncia apresentada pelo Senhor Pedro Mendonça de Queiroz Pereira ao exercício dessas funções".

 

Já não tendo funções executivas na Portucel, Queiroz Pereira deixa também de as ter na Semapa. Fica como "chairman" de ambas. No caso da Semapa, o conselho de administração fica a contar com nove membros, enquanto a comissão executiva agrega quatro gestores.

 

Em Junho, o empresário Queiroz Pereira explicou, à Lusa, que esta alteração visa "reforçar a equipa executiva com um quadro de topo de perfil internacional, com uma carreira sólida e experiência em vários sectores de actividade".

 

Mudanças accionistas na Semapa e na Portucel

 

Não é apenas uma mudança de nomes que está a decorrer no grupo de Queiroz Pereira. Também há alterações accionistas. A Semapa é controlada pela Sodim, do empresário, mas tem capital disperso por outros accionistas. A empresa quer mudar isso.

 

A Semapa lançou uma oferta pública de aquisição sobre o seu próprio capital, em que entrega, em troca, títulos da Portucel. Na prática, pretende que os seus accionistas passem a ser accionistas da papeleira. O objectivo é que a "holding" deixe de estar cotada em bolsa, fomentando a dispersão do capital da Portucel.

 

"A Semapa está a prever que o período de oferta decorra ainda durante o mês de Julho", disse fonte oficial da companhia, ainda em Junho.

 

O grupo de Queiroz Pereira foi um dos temas da comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do GES dado que o empresário acusava Ricardo Salgado de, juntamente com a sua irmã Maude, tentar adquirir o controlo da Semapa, operação que entretanto falhou e que pôs fim às históricas participações cruzadas que existiam entre o grupo e o GES. 

Ver comentários
Saber mais Bosch Portucel Pedro Queiroz Pereira João Castello Branco Semapa
Outras Notícias