Indústria Queda no volume de negócios da indústria abranda em Maio

Queda no volume de negócios da indústria abranda em Maio

O volume de negócios da indústria portuguesa atenuou o ritmo de queda em Maio, impulsionado pela evolução menos negativa das vendas para o mercado externo.
Queda no volume de negócios da indústria abranda em Maio
Miguel Baltazar
Rita Faria 08 de julho de 2016 às 11:56

A actividade das fábricas portuguesas voltou a cair no mês de Maio, mas a um ritmo menor, impulsionada sobretudo pela evolução menos negativa do mercado externo.

 

Segundo os dados divulgados esta sexta-feira, 8 de Julho, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o índice que mede o volume de negócios na indústria desceu 1,2% em Maio, face ao mesmo mês do ano passado, depois da queda homóloga de 4,8% observada em Abril. Este indicador diminuiu, assim, em termos homólogos, pelo oitavo mês consecutivo.

 

Em termos mensais, porém, o volume de negócios da indústria subiu 4,2%, depois da descida de 4,1% registada no mês anterior.

 

Em Maio, as vendas para o mercado nacional diminuíram 2% face ao mês homólogo, após a quebra de 3% em Abril. Já as vendas para o mercado externo caíram 0,3% face a Maio de 2015, uma variação menos negativa do que a observada no mês anterior (-6,9%).

O agrupamento de energia deu o contributo mais negativo para a evolução do índice total, com uma redução homóloga de 4,6%. 

Os índices dos agrupamentos de bens intermédios e de bens de investimento também apresentaram variações homólogas negativas em Maio, de -0,4% e de -4,5%, respectivamente. Já o índice do agrupamento de bens de consumo passou de uma diminuição de 1% em Abril para um crescimento de 2,6% em Maio.

 

Segundo os dados do INE, os índices que medem o emprego e a remuneração subiram em Maio, enquanto as horas trabalhadas na indústria decresceram.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI