Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Controlinveste passa a ser detida por angolanos e pode despedir 200 pessoas

O grupo Controlinveste, que detém os jornais “Diário de Notícias”, “Jornal de Notícias” e a rádio TSF, foi vendido a um fundo de capital de risco em que a maioria do capital pertence a um empresário angolano. Deverão ser dispensados 200 colaboradores.

Negócios negocios@negocios.pt 04 de Junho de 2013 às 09:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • 51
  • ...

A notícia é avançada na edição de hoje do jornal “i” e sublinha que o grupo de capital de risco, liderado pelo empresário angolano António Mosquito (na foto), ficará com 51% do capital da Controlinveste. Joaquim Oliveira, actual presidente do conselho de administração do grupo, BCP e BES deverão ficar com os restantes 49% do capital do grupo, ou seja, em minoria e sem capacidade de decisão.

 

O negócio já se arrastava há vários meses, liderado pelo BCP, que se assume como o maior credor do grupo desde 2005, altura em que a PT vendeu os jornais e a rádio a Joaquim Oliveira. O dossiê Controlinveste era considerado um dos mais difíceis de resolver pelo banco. A solução teve de ser encontrada desde que o Estado entrou no capital do banco e consequente reestruturação imposta pela troika.

 

Segundo o “i”, para criar este fundo de capital de risco vai ser preciso vender activos a curto-prazo para amortizar a dívida do grupo, o que significa que jornais como o “Jornal de Notícias”, “O Jogo” ou a TSF poderão ser alienados. Já no "Diário de Notícias", confrontado com quebras acentuadas nas vendas, o procedimento será outro: o jornal deverá ser alvo de uma profunda reestruturação que implicará a dispensa de muitos colaboradores.

 

O fundo de risco está a ponderar despedir um total de 200 colaboradores da Controlinveste, com a maioria do pessoal a pertencer ao “Diário de Notícias”. A actual direcção do diário, liderada por João Marcelino, também poderá ser substituída.

 

Angolanos reforçam na comunicação social em Portugal

 

A concretizar-se esta operação, os capitais angolanos reforçam ainda mais a sua presença nos principais grupos de média em Portugal. Actualmente, a Cofina (que detém o Negócios e o “Correio da Manhã”) já é participada em 15,08% pela Newshold, que também detém 1% da Impresa e ainda o semanário “Sol”. No ano passado, a Newshold manifestou a intenção de adquirir a RTP, caso a privatização fosse avante – mas não foi.

 

António Mosquito é um empresário que está ligado ao sector petrolífero e à distribuição automóvel, sendo o representante das marcas Volkswagen e Audi, de acordo com o “i”. Em 2007 esteve ligado à operação de entrada da CGD em Angola.

Ver comentários
Saber mais Controlinveste DN JN angolanos Cofina António Mosquito
Mais lidas
Outras Notícias