Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros da Cofina sobem 202% entre Janeiro e Setembro

Segundo informação enviada à CMVM, a Cofina aumentou os lucros em 202% para 4,7 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2014. Para além do ligeiro aumento registado na venda de jornais, destaca-se o crescimento de 5,7% nas receitas publicitárias.

24.º - Paulo Fernandes
Cofina (dona do Negócios) atingiu sonho de ter TV. Altri atinge melhores resultados de sempre.
David Santiago dsantiago@negocios.pt 28 de Outubro de 2014 às 17:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • 17
  • ...

A Cofina, detentora de publicações como o Jornal de Negócios ou o Correio da Manhã, registou um aumento de lucros de 202% nos primeiros nove meses de 2014.

 

De acordo com a informação enviada pela empresa de Paulo Fernandes à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Cofina registou lucros de 4,7 milhões de euros entre Janeiro e Setembro, que comparam com os 1,6 milhões de euros alcançados em igual período do ano passado.

 

Entre os principais factores que justificam este aumento está o crescimento de 5,7% das receitas publicitárias, para um total de 26,6 milhões de euros.

 

Apesar do ligeiro aumento de 0,5% verificado na venda de jornais, a Cofina realça a quebra de 4,5%, nos primeiros nove meses do ano, das receitas de circulação que alcançaram um montante de 41,1 milhões de euros.

 

Em termos homólogos, as receitas operacionais caíram 0,3% entre Janeiro e Setembro de 2014, dos 78,6 milhões de euros em 2013 para os 78,4 milhões de euros este ano.

 

A Cofina explica que a "evolução positiva da publicidade e do marketing quase compensaram a quebra acumulada das receitas de circulação".

 

Já as revistas registaram uma quebra de 3,3% nas receitas, apesar do aumento de 14% das receitas publicitárias deste segmento.

 

O EBITDA (lucros antes de juros, lucros, depreciações e amortizações) no período já referido foi de 11 milhões de euros, que compara com os 9,7 milhões de euros registados nos primeiros nove meses de 2013, o que representa uma evolução positiva de aproximadamente 12,9%. A margem EBITDA foi de 14%, mais 1,6 pontos percentuais do que em 2013.

 

Em sentido inverso, a dívida líquida da Cofina, em termos nominais, foi de 68,5 milhões de euros no final do passado mês de Setembro, o que configura uma redução de 4,9 milhões de euros comparativamente com o período homólogo.

Ver comentários
Saber mais Cofina Paulo Fernandes CMVM Correio da Manhã Negócios
Mais lidas
Outras Notícias