Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

RTP entrega a 25 Junho proposta de novo contrato de concessão

O presidente da RTP, Alberto da Ponte, revelou esta quinta-feira que a estação pública entregará ao Governo a 25 de Junho a sua proposta para um novo contrato de serviço público, a ser assinado com a tutela.

Lusa 06 de Junho de 2013 às 18:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

"Comprometemo-nos a trabalhar em conjunto com o ministério sobre o contrato de concessão e a proposta desse contrato de concessão será entregue pela RTP ao senhor ministro no dia 25 de Junho", disse Alberto da Ponte numa intervenção na V Conferência da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

 

O gestor indicou ainda que a estacão entregou já ao novo ministro da tutela, Miguel Poiares Maduro, um estudo sobre como o serviço público de media "deve adaptar-se à realidade actual", escusando-se a elaborar sobre as ideias inscritas nesse documento.

 

Alberto da Ponte manifestou ainda uma preocupação pessoal, "numa altura em que o desemprego em Portugal atinge quase os 18%, ter que por famílias no desemprego".

 

"Mas a verdade é que temos uma necessidade de serviço público e temos uma necessidade de provir essa necessidade de serviço público" com um financiamento exangue.

 

"Entre 2010 e 2014, as indemnizações compensatórias dadas à RTP passarão de 210 milhões em 2010, aproximadamente, para zero em 2014", ilustrou.

 

"O último ponto a sacrificar é a estabilidade laboral das pessoas na RTP", afirmou o gestor já à margem da conferência.

 

Confrontado com indicações segundo as quais o plano de rescisões amigáveis resultou até agora, com um número despiciendo de saídas concluídas, Alberto da Ponte escusou-se a actualizar o resultado do plano, afirmando apenas que a administração da RTP obteve 240 candidaturas "e o plano de rescisões amigáveis continua". 

 

Outro dos objectivos a que a administração da RTP ainda se agarra é o de 40 milhões de euros em receitas provenientes da publicidade no final de 2013, inscrito no Plano de Desenvolvimento e Redimensionamento (PDR) da empresa, apesar da ininterrupta contracção do mercado publicitário e da queda acentuada da estação nas audiências televisivas. 

 

"Mantenho esse objectivo ainda, acho que devo manter esse objectivo, embora todos os objectivos de receitas tenham que ser sujeitos a contingências", afirmou Alberto da Ponte.

 

Mas as audiências "preocupam a RTP", pelo que a estação vai, "no cumprimento do plano do Governo" - o PDR - para a empresa, apresentar até 30 de Junho uma nova política de informação, entretenimento, desenvolvimento e cultura, "tal como está nesse plano", anunciou ainda o gestor.

 

Alberto da Ponte rejeitou, finalmente, responsabilizar pessoalmente qualquer quadro da RTP pelo fracasso da actual programação na sustentação das audiências, afirmando que "as pessoas que trabalham na RTP são todas parte de uma equipa e essa equipa, enquanto trabalhar, como está a fazê-lo, de uma forma abnegada e em favor da RTP, é para manter".

 

"Todos aqueles que conseguem contribuir para a execução de um plano estratégico, que é ao mesmo tempo o plano do serviço público de media em Portugal, são bem-vindos da RTP e vão continuar", acrescentou.

Ver comentários
Saber mais Alberto da Ponte RTP
Outras Notícias