Media WPP dispara mais de 9%. Resultados e venda animam investidores

WPP dispara mais de 9%. Resultados e venda animam investidores

Depois da incerteza com a saída do CEO, a maior agência de publicidade do mundo apresenta resultados animadores e revela um negócio em vista. Na bolsa, os valores disparam como não se via há quase uma década.
Ana Batalha Oliveira 30 de abril de 2018 às 11:26

A WPP está a subir 7,10% para os 1.230 dólares por acção, mas já tocou nos 1.259,50 dólares, numa valorização de 9,66%. A maior empresa de publicidade do mundo não registava uma subida tão acentuada desde Dezembro de 2008 - há quase uma década - e, com ela, volta aos preços nos quais negociava no último mês de Fevereiro.

Esta segunda-feira a WPP revelou que as vendas no primeiro trimestre caíram 0,1%, contra a estimativa mais pessimista dos analistas, que apontavam para uma quebra de 0,9%, nota a Bloomberg. As perdas deram-se sobretudo na América do Norte e no leste da Europa. No final de contas, a WPP alcançou lucros de 4.037 milhões de euros, menos 4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Já durante o fim de semana o Financial Times avançou que a CVC Capital Partners está interessada na compra da unidade de investigação da WPP, a Kantar. A mesma unidade já havia estado sob os holofotes para uma possível fusão com a Nielsen, mas as marcas não chegaram a acordo.

As boas notícias chegam pouco tempo depois de o CEO, Martin Sorrell, ter abandonado este cargo, no qual se mantinha há 33 anos, sendo substituído pelo antigo chairman, Roberto Quarta (na foto). Sorrell retirou-se por estar a ser investigado no âmbito de um processo por má conduta sobre o qual não se conhecem mais detalhes, apesar de se declarar inocente. Esta saída gerou incertezas acerca do futuro da empresa e da solidez do império. Esta saída levou inclusivamente a levou a agência de notação financeira Moody's a baixar o outlook da empresa de estável para negativo.  




Saber mais e Alertas
pub