O Negócios Cristiano Ronaldo: O português mais famoso do planeta marca pontos no mundo dos negócios

Cristiano Ronaldo: O português mais famoso do planeta marca pontos no mundo dos negócios

Cristiano Ronaldo ganhou em 2017 o prémio de melhor jogador do mundo para a FIFA. Com 32 anos, foi a quinta vez que arrebatou o troféu, em 11 anos de carreira. Na prateleira dos prémios guarda também quatro Botas de Ouro e a conta bancária reflecte o sucesso que tem em todo o mundo, Segundo a revista Forbes, é o atleta mais bem pago à escala mundial.
Cristiano Ronaldo: O português mais famoso do planeta marca pontos no mundo dos negócios
Reuters
Filomena Lança 31 de maio de 2018 às 16:00
No último fim-de-semana, o Real Madrid conquistou em Kiev a terceira Champions seguida, frente ao Liverpool, com dois golos do galês Gareth Bale. Desta vez Ronaldo não foi a grande estrela, mas foi sobre ele que, no final, acabaram por incidir os holofotes, na sequência da enigmática frase com que selou o encontro e que deixava no ar um cenário de saída do clube espanhol: "Foi muito bonito estar no Real Madrid!"

O internacional português, que colecciona prémios de melhor jogador do mundo, Botas e Bolas de Ouro, sempre foi especialista em concentrar sobre si as atenções, no futebol como nos negócios, e parece fazê-lo cada vez com mais sucesso. Aos 33 anos, ainda lhe faltam alguns até pendurar as chuteiras, mas há muito que começou a preparar o futuro fora dos relvados. O futebolista é também um empresário de sucesso que escolhe a dedo os investimentos pelos quais dá a cara.

Em 2003, estava o Jornal de Negócios a dar os seus primeiros passos como jornal diário em papel, Cristiano Ronaldo saía do Sporting para o Manchester United numa transferência que rendeu 15 milhões de euros ao clube português. Tinha 18 anos e Alex Ferguson, o treinador escocês, sabia bem o que fazia. Seis anos depois, em 2009, o jovem português tornar-se-ia o jogador mais caro da história do futebol quando saiu para o Real Madrid, numa transferência no valor de 94 milhões de euros. Foi ganhar 12 milhões por ano, mas o futebol seria apenas uma das suas fontes de rendimento, que rapidamente diversificou, sobretudo com direitos de imagem e contratos publicitários milionários.

Em 2016, seria o primeiro futebolista a liderar a lista dos desportistas mais bem pagos do mundo, elaborada pela Forbes, que calculou em 85 milhões os seus ganhos anuais. Um valor sempre a subir e que hoje em dia já estará nos 110 milhões, de acordo com a imprensa espanhola. Na verdade, já nem é directamente do futebol que lhe vem a maior fatia dos rendimentos.

O poder da Polaris Sports

Mas o que faz Cristiano ao dinheiro? Quem lho gere? Quem o aconselha nos investimentos que faz? O futebolista é relativamente discreto nesta parte, mas é sabido que Jorge Mendes, o seu empresário e amigo pessoal, tem (quase) sempre uma palavra a dizer. A Gestifute, de Mendes, detém uma agência de marketing desportivo, a Polaris Sports, que é liderada por Luís Correia, sobrinho de Mendes, e que gere os direitos de imagem de alguns dos jogadores mais famosos do mundo, incluindo os de Cristiano Ronaldo, a sua jóia da coroa. É a Polaris Sports que gere as várias contas de Ronaldo nas redes sociais - um post publicitário pode valer centenas de milhares de euros - e foi na Polaris que nasceu a CR7, a marca pessoal do jogador.

À excepção dos investimentos que realiza a título estritamente pessoal, nomeadamente ao nível do imobiliário - tem casas em Madrid (no luxuoso bairro de Finca, onde reside habitualmente), em Lisboa (um apartamento de dois milhões na Avenida da Liberdade), em Nova Iorque (um "loft" na Trump Tower que lhe custou 18,5 milhões), no Gerês ou Funchal - , tudo o que tenha que ver com a marca CR7 faz-se via Polaris Sports e, indirectamente, via Gestifute, num portefólio que inclui hotéis, perfumes, roupa, restauração ou ginásio.

Quem foi de novo o melhor marcador?  A Champions devia mudar e chamar-se CR7 Champions League...  Cristiano Ronaldo

A moda foi, desde sempre, uma aposta para os seus direitos de imagem. A começar pela Nike, com a qual assinou em 2003, quando foi para o Manchester United e com quem tem hoje um contrato semelhante ao que a marca mantém com grandes da NBA, como Michael Jordan ou LeBron James, e que deverá prolongar-se para lá do fim da sua carreira como jogador. O contrato foi renovado em 2016, por mais uma década, e segundo a imprensa desportiva, vai render ao jogador qualquer coisa como 35 milhões de euros por ano, fazendo dele o desportista mais bem pago do mundo.

Uma das suas estratégias de investimento tem passado pela associação a marcas fortes no mercado. Aconteceu, por exemplo, com o grupo hoteleiro Pestana, com o qual começou por abrir um hotel no Funchal - cidade onde nasceu e que já o homenageou dando o seu nome ao aeroporto local -, depois um em Lisboa e que este ano inaugurará um terceiro em Madrid, na Gran Via.

Outra aposta foi no mundo dos ginásios. Aí, Cristiano fez uma "joint venture" com a americana Crunch e avançou com um "franchising" para o mercado de fitness espanhol. O primeiro CR7 Crunch Fitness abriu em Madrid há cerca de um ano e no início de 2018 o jornal espanhol Expansión noticiava que o objectivo é abrir até centena e meia de unidades em Espanha e outros 50 a 75 em Portugal durante os próximos anos.

Os CR7 Crunch Fitness são ginásios "low-cost", mas com a assinatura pessoal do atleta. Um conceito que Cristiano quis colocar também numa das últimas novidades da CR7. Esta, que já tinha, entre outras coisas, sapatos, perfumes e roupa interior masculina, conta também agora com uma linha de roupa jeans, numa associação com a sul-africana Uniti Fashion, que desenhou e produziu as peças. O rosto do negócio, como sempre, é ele, o homem com milhões de fãs em todo o mundo e o melhor modelo publicitário possível. "Inspirei-me naquilo que é importante para mim", declarou publicamente quando foi lançada a nova linha que, sublinhou, "não podia ser igual a qualquer outra". E foi assim que Cristiano, habituado a vestir Givenchy, Dsquared2 ou Balmain, às quais poucas carteiras conseguem chegar, pôs no mercado uma marca que tem "influências da alta-costura", mas que é acessível a uma boa parte da sua legião de fãs, que pode adquirir on-line as calças ou camisas CR7 para os quais Cristiano fez uma campanha publicitária com o filho mais velho.

E a lista continua. Em Junho, segundo as últimas notícias, abrirá um restaurante em Gramado, Brasil, numa parceria com as empresas Gramado Resort e Lugano. Chamar-se-á Dona Dolores, em homenagem à mãe. É possível que o próximo investimento seja em Paris, a concretizar-se uma transferência para o Paris Saint-Germain, como já há quem palpite, na sequência das declarações de Ronaldo no final da Champions.

CV

Cristiano Ronaldo nasceu no Funchal a 5 de Fevereiro de 1985. Conhecido como "o abelhinha", jogava no Andorinhas e aos oito anos passou para o Nacional da Madeira, ao qual o Sporting pagou 25 mil euros para o levar para Lisboa. Seguiu-se o Manchester United, depois o Real Madrid, com transferências cada vez mais milionárias.  




pub