Espírito Santo Saúde sobe 6% mas continua abaixo dos 5,01 euros pagos pela Fidelidade

A OPA da seguradora à agora Luz Saúde terminou. A Fidelidade controla mais de 96% da empresa. Mas há perto de 4% disperso em bolsa. E estas acções ainda em bolsa avançaram com a expectativa de compra obrigatória pela companhia da Fosun.
Bruno Simão/Negócios
pub
Diogo Cavaleiro 16 de outubro de 2014 às 16:57

Depois da queda de ontem, a subida de hoje. A Espírito Santo Saúde disparou 5,99% para terminar o dia nos 4,795 euros. Durante a sessão ascendeu aos 4,899 euros. Mas, ainda assim, os títulos seguem abaixo dos 5,01 euros a que ainda podem ser vendidos à Fidelidade.

 

A oferta pública de aquisição terminou com seguradora controlada pela chinesa Fosun a ficar com 96,1% do capital da empresa dirigida por Isabel Vaz. Ficaram nas mãos de outros investidores menos de 3,8 milhões de títulos da ES Saúde, ou seja, apenas 3,933% do seu capital.

 

São estas acções que ainda podem ser negociadas em bolsa. E foram elas que hoje ganharam valor face ao fecho de ontem. Isto porque, depois de uma sessão negativa em que já não estava em vigor a OPA nem se conheciam os resultados na quarta-feira, as acções valorizaram-se esta quinta-feira com a expectativa de que possam vir a ser adquiridas pela Fidelidade.

 

A seguradora pode exercer o direito da aquisição potestativa, ou seja, a compra do capital que não foi adquirido na OPA (cerca de 3,9% da empresa). Nessa operação, a contrapartida a pagar teria de ser de 5,01 euros por acção, a mesma que foi oferecida na OPA. Jorge Magalhães Correia, que preside à seguradora, ainda não tomou nenhuma decisão quanto a isso.  Mas mesmo que tal não venha a ser feito, os investidores podem recorrer à imagem da alienação potestativa, em que a Fidelidade será obrigada a adquirir os seus títulos, igualmente a 5,01 euros.

pub