PME Exciting Space - Conhecer museus sem 'secas'
PME

Exciting Space - Conhecer museus sem 'secas'

Dar a conhecer parques naturais, temáticos, jardins zoológicos ou museus de forma interactiva é o que promete a Exciting Space.
Exciting Space - Conhecer museus sem 'secas'
Negócios 24 de maio de 2012 às 10:22
"Quarto de vestir da rainha tal e tal", "azulejos de mil oitocentos e qualquer coisa", "pintura a óleo realizada pelo artista nesta ou naquela fase". Quantas vezes pobres painéis explicativos ou entediantes resumos em audioguias, sugerem que uma ida ao museu, palácio ou exposição, fica muito aquém do que poderia ser? Dizer adeus a estas formas de conhecer um espaço cultural ou de lazer é o que a Exciting Space propõe desde o final de 2011.

Os promotores, Nuno Alves, de 36 anos, e Jason Pascoe, de 38, amigos de longa data, garantem ter descoberto a fórmula ideal para fazer das visitas a cidades, museus, parques naturais, jardins zoológicos, jardins botânicos, parques temáticos, centros comerciais ou festivais momentos que aliam saber e lazer. Há menos de um ano materializaram esta fórmula na Exciting Space, uma "fábrica de experiências interactivas", nada indiferentes ao percurso de ambos (ver perfil).

Tudo no "smartphone"
Com a plataforma tecnológica desenvolvida pela Exciting Space, os visitantes de espaços culturais e de lazer, através dos seus "smartphones", poderão explorar, aprender e interagir no local físico. É uma resposta que pretende estar à altura das necessidades destes locais que, dizem as estatísticas, estão a perder tráfego e receitas. "Melhorar a experiência de visita através de um entretenimento criativo, mas também diferenciador relativamente à concorrência, passou a ser vital para os 'players' deste sector", garantem os empreendedores.

Recorrendo à tecnologia móvel, no desenho e desenvolvimento de experiências interactivas no espaço, a Exciting Space acredita ter encontrado uma resposta no combate à tendência reflectida nas estatísticas. Ao contrário da maioria da oferta que ou "é funcional e feia" ou, então, "bonita mas esquisita na utilização", Jason Pascoe garante que a oferta da Exciting Space "é, em igual medida, bonita e funcional". E argumentam com a experiência e os anos de pesquisa de desenvolvimento que aplicaram no projecto.

Aventuras móveis
Em actividade há menos de um ano, e com toda a produção assumida com recursos próprios, a Exciting Space está "focada em 'aventuras móveis' que combinam guias de visita com jogos". O guia de visita terá um conjunto de conteúdos multimédia que "permite ao visitante informar-se de forma divertida sobre o espaço ou sobre a temática subjacente ao espaço".

A prova de fogo para a jovem empresa, localizada no espaço "Startup Lisboa", já tem data marcada e terá como palco o Museu dos Coches - o mais visitado da rede pública de museus em Portugal. Para este espaço está a ser desenvolvido, até Junho, um projecto-piloto (ver caixa). Paralelamente, dois guias de visita (portal web e aplicação mobile) estão a ser criados para parques naturais e jardins botânicos, mas ainda é cedo para os revelar.

Além do produto 'core' da Exciting Space, a oferta inclui benefícios complementares, nomeadamente permitir aos clientes "monitorizar e analisar o movimento dos visitantes, atraí-los para áreas específicas e ser reconhecido como líder na inovação".

Este ano, os dois empreendedores prevêem vender quatro projectos, num volume de facturação de 125 mil euros e, com isto, criar três postos de trabalho. A incerteza que o futuro comporta, leva os promotores a ter como objectivo a internacionalização. Focada no mercado "business-to-business", a ExcitingSpace está interessada na expansão para Espanha, Brasil, Inglaterra e Alemanha.






Bilhete de identidade

Nome Exciting Space
Início de actividade Outubro de 2011
Actividade Guias de visita multimédia e interactivos
Localização Incubadora de empresas "Startup Lisboa"
Prémios Melhor projeto empresarial na 10a Edição do Programa Empreendedorismo e Criação de Empresas do AUDAX/ISCTE-IUL
Site www.excitingspace.com






Aventureiro e economista fundem-se

Os quase seis mil metros do Kilimanjaro não assustaram Jason Pascoe, as feras com que, inadvertidamente, deu de caras no Quénia, onde, durante um ano, desenvolveu ferramentas informáticas para facilitar o trabalho de campo de um grupo de ecologistas -, talvez já fossem mais assustadoras, mas, provavelmente, a sua maior aventura será criar e, mais difícil, fazer crescer a sua própria empresa. Há 10 anos que este "cientista da computação" (como prefere autodenominar-se) combina o amor pelas viagens (e sobretudo pelo tracking) com o labor em tecnologias móveis. Fê-lo em projectos como um guia móvel para um zoo inglês - o que o 'obrigou' a filmar animais nos seus habitats -, ou como as aplicações móveis para o sector do turismo na Nova Zelândia e Australia. Um perfil que Nuno Alves considera complementar ao seu.
Depois de gerir alguns projectos no sector da saúde este economista tem passado os últimos anos dedicado à indústria dos centros comerciais, daí "o interesse por temáticas relacionadas com o entretenimento em espaços públicos". Antes, e por causa de uma temporada no norte de Moçambique, aprendeu a amar a educação e a formação. Um interesse que o nascimento do filho de três anos reavivou. Amigos há anos, Jason e Nuno, resolveram agora fundir os seus saberes num projecto que alia a aprendizagem com o divertimento e o conteúdo com a interatividade multimédia. Um "projecto de vida" para ambos.