Start-ups LaserLeap: A seringa a laser “made in Portugal” vai chegar ao mercado

LaserLeap: A seringa a laser “made in Portugal” vai chegar ao mercado

Um grupo de investigadores da Universidade de Coimbra desenvolveu uma seringa a laser que permite a administração de medicamentos sem recurso às tradicionais seringas. Chega agora ao mercado.
LaserLeap: A seringa a laser “made in Portugal” vai chegar ao mercado
Paulo Duarte/Negócios
Ana Laranjeiro 28 de novembro de 2015 às 13:00

É uma seringa, mas não é uma seringa tradicional. É a laser e chama-se LaserLeap. Foi desenvolvida por investigadores de Coimbra que transformaram as suas descobertas em negócios tendo para isso criado uma start-up.

A LaserLeap permite a administração rápida e eficaz de fármacos através da pele, sem o recurso a seringas tradicionais, e chega ao mercado este sábado, 28 de Novembro.

Esta solução tem por base um ultra-som de elevada frequência que usa, por sua vez, um laser portátil para converter pulsações de luz em ondas de pressão. Estas ondas não provocam dor mas são capazes de mudar a estrutura da pele durante alguns minutos que é o tempo necessário para que os medicamentos e cosméticos penetrem.

Este projecto nasceu no Departamento de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra e tem por base estudos fotoacústicos de sistemas químicos através da interacção com a "luz laser e determinados materiais que permitem a produção de ultra-sons especializados e caracterizados pela sua elevada frequência", de acordo com Gonçalo Sá, um dos responsáveis da LaserLeap Technologie, a start-up que está a desenvolver este produto. Estas descobertas foram já patenteadas.


O responsável assegura que esta seringa, que é uma tecnologia de baixo custo, permite que se receba de forma eficiente "cosméticos e medicamentos através da pele, sem dor e sem irritação".




Marketing Automation certified by E-GOI