Start-ups Start-up portuguesa gera um milhão de euros semanalmente em arrendamentos

Start-up portuguesa gera um milhão de euros semanalmente em arrendamentos

A plataforma portuguesa de alojamento para universitários Uniplaces, fundada em 2011, gera mais de um milhão de euros por semana em arrendamentos.
Start-up portuguesa gera um milhão de euros semanalmente em arrendamentos
Miguel Baltazar/Negócios
Ana Laranjeiro 02 de setembro de 2016 às 12:17

Um milhão de euros em arrendamento. Por semana. Este é o valor gerado pela Uniplaces, start-up nacional que disponibiliza uma plataforma online para alojamento de estudantes universitários. O comunicado enviado às redacções indica que esta plataforma permite aos proprietários "rentabilizarem os seus imóveis junto do mercado de arrendamento universitário, avaliado em mais de 249 milhões de euros em Portugal e em mais de 19 mil milhões de euros na Europa".

Em Lisboa, a empresa co-fundada por Miguel Santo Amaro (na foto) verificou que os estudantes procuram imóveis sobretudo na zona dos Anjos, Arroios e Alameda, São Sebastião, Santos, Bica e Bairro Alto.


Na cidade Invicta, os bairros da Lapa, Marquês e Cedofeita são os mais procurados pelos alunos universitários em busca de alojamento.


Em comunicado, o Country Manager da Uniplaces para Portugal, André Rodrigues Pereira, comenta que: "o parecer que temos vindo a obter por parte dos senhorios é positivo" assinalando os responsáveis que "através da plataforma conseguem chegar a um vasto número de interessados e rentabilizar, assim, ao máximo as suas propriedades".

Olhando para fora de portas, os bairros La Latina, Malasaña e Chamberi são mais procurados pelos estudantes em Madrid. No caso de Barcelona, as preferências recaem em duas zonas: no centro da cidade (que abrange o Barrio Gótico e o bairro de El Raval) e mais a norte da cidade.


"Em Berlim, a capital alemã, são as zonas de Wedding e Mitte as mais procuradas para o arrendamento de estudantes ou recém-licenciados", diz o comunicado.


A fotografia tirada pelo primeiro-ministro

O primeiro-ministro, António Costa, foi à inauguração da nova sede da Uniplaces, a 8 de Março, para apresentar a estratégia nacional para o empreendedorismo. A inauguração da sede da Uniplaces na zona do Rossio, em Lisboa, estava marcada para as 17 horas. Por essa altura, o primeiro-ministro, António Costa, o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, chegavam a pé ao local. À espera tinham os três fundadores da Uniplaces.

Depois de uma visita guiada ao novo espaço, chegou a altura dos discursos. O primeiro-ministro foi o último a discursar e contou uma história.


"Era uma vez, um país que, em 2011, estava numa crise muito profunda. Todos os dias víamos nos jornais más notícias. Achámos na Câmara de Lisboa que tínhamos de adoptar um lema: para cada má notícia era preciso uma boa iniciativa. E havia um centro de más notícias: a Baixa de Lisboa – que estava decadente, cheia de prédios vazios e envelhecida. Havia uma história muito triste de excelentes jovens que eram formados nas universidades e não tinham emprego ou estavam a sair do país. Ai surgiu uma ideia no orçamento participativo da Câmara: criar na Rua da Prata, num prédio que é do Montepio, a Startup [Lisboa]", relatou na altura.

 

"Foi assim que arrancou a Startup [Lisboa]. Nessa Startup, apareceu uma primeira empresa: três miúdos - Miguel, Mariano e Ben – e disseram: viemos fundar uma empresa. E essa empresa é o quê? Vamos arranjar quartos para os estudantes Erasmus que vêm para Lisboa. Achei esta empresa muito parecida com uma página de anúncios classificados num jornal mas aquilo que eles demonstraram (…) foi que cada ideia pode ser mais do que um anúncio de classificados num jornal. Essa ideia chama-se Uniplaces", acrescentou o primeiro-ministro.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI