Start-ups Start-ups concorrem com Outsystems no recrutamento de talento

Start-ups concorrem com Outsystems no recrutamento de talento

Paulo Rosado, líder da Outsystems, reconhece que as start-ups concorrem com a empresa no recrutamento de talento. O responsável elogiou ainda a qualidade dos engenheiros portugueses.
Start-ups concorrem com Outsystems no recrutamento de talento
Ana Laranjeiro 02 de fevereiro de 2016 às 14:36

A Outsystems, uma empresa tecnológica portuguesa que disponibiliza uma plataforma de Desenvolvimento Rápido de Aplicações, anunciou esta terça-feira, 2 de Fevereiro, que obteve uma ronda de financiamento superior a 50 milhões de euros através do fundo de capital de risco norte-americano North Bridge. Em conversa com os jornalistas, Paulo Rosado (na foto ao centro), líder da empresa tecnológica, salientou que o processo produtivo da empresa vai manter-se em Portugal e que a "engenharia em Portugal é de topo".

O responsável afirmou que a empresa tem actualmente 120 posições profissionais em aberto, metade da quais para vagas em Portugal. Esses lugares serão preenchidos assim que possível, disse Paulo Rosado, acrescentando durante a conversa que "contratamos a uma velocidade inferior àquela que precisamos". Os critérios de selecção para a entrada na empresa são bastante apertados e os candidatos são sujeitos a vários testes, acrescenta.

"Este não é um tipo de negócio em que temos por base um talento barato e pouco qualificado. Os nossos recursos são extraordinariamente qualificados, dos mais qualificados que existe. Portanto, a nossa questão é não tanto o dinheiro que despendemos mas onde conseguimos ir buscar os mais qualificados", justificou.

Assumiu ainda que, apesar da qualidade dos engenheiros em Portugal ser de "topo" e a maioria dos engenheiros a trabalhar na empresa tenha formação em universidades nacionais, a Outsystems tem vindo a receber currículos de pessoas oriundas de outras partes da Europa. Algo que tem vindo a ser possível, defendeu, graças ao "muito trabalho que tem sido feito por parte das cidades do Porto e de Lisboa, que tornaram Portugal num destino muito apetecível".

Nestas duas cidades portuguesas residem muitas start-ups nacionais que estão a ser reconhecidas internacionalmente. Além disso, Lisboa e Porto são cada vez mais procuradas por turistas.

Questionado se as start-ups concorriam com a Outsystems na captação de talento, Paulo Rosado assume que isso acontece. "Há concorrência pelo talento. Acho que isso é bom. Fomos sempre considerados como um recrutador de topo em Portugal. Estar sozinho cria um noção monopolística. Quando começaram a aparecer empresas a um nível interessante [nomeadamente] start-ups que estão bem financiadas e por aí fora" é positivo, admitiu.

A Outsystems tem actualmente 350 funcionários, está presente em 33 países do mundo e tem 600 clientes empresariais.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI