Tecnologias Apple apresenta lucros acima do esperado e "guidance" anima mercado

Apple apresenta lucros acima do esperado e "guidance" anima mercado

As acções da Apple estão a reagir em alta às estimativas da tecnológica para o trimestre em curso. Quanto ao seu primeiro trimestre fiscal, as receitas caíram mas os lucros por ação aumentaram e ficaram acima do estimado.
Apple apresenta lucros acima do esperado e "guidance" anima mercado
Reuters
Carla Pedro 29 de janeiro de 2019 às 22:26

A tecnológica liderada por Tim Cook reportou esta noite as contas do seu primeiro trimestre fiscal, terminado a 29 de dezembro, e as estimativas para o período em curso. Na primeira frente, os números agradaram, apesar da queda das receitas.

 

O volume de negócios da Apple no primeiro trimestre recuou 5% face ao mesmo período do ano passado, para 84,3 mil milhões de dólares.

 

Segundo a empresa sediada em Cupertino (Califórnia), as vendas entre outubro e dezembro deveriam ficar compreendidas entre 89 e 93 mil milhões de dólares, que que saíram abaixo do projetado.

 

As vendas de iPhones no período em análise caíram 15% face ao mesmo período do ano precedente.

 

Mas a contrabalançar esteve a receita dos serviços, rubrica que também é sempre observada com atenção e que aumentou 19% para um máximo histórico de 10,9 mil milhões de dólares. Esta categoria inclui a App Store, Apple Music, armazenamento na iCloud e Apple Pay.

 

Também em alta estiveram as vendas do Mac (mais 8,7% para 7,4 mil milhões de dólares) e do iPad (aumentaram 17% para 6,7 mil milhões de dólares).

 

A tecnológica co-fundada por Steve Jobs especificou pela primeira vez os itens "wearables, casa e acessórios" como uma categoria de produto – com as vendas a dispararem 33% para 7,3 mil milhões de dólares.

 

Já o lucro por acção foi de 4,18 dólares (mais 7,5% do que no período homólogo de 2017), contra a média de 4,17 dólares prevista pelo consenso do mercado.

 

Entretanto, a empresa apresentou também as previsões para a facturação do período em curso (o chamado "guidance"), que ficam acima das expetativas do consenso do mercado, o que está a animar as suas ações em bolsa.

 

A empresa da maçã estima receitas entre 55 e 59 mil milhões de dólares para o período entre janeiro e março (o seu segundo trimestre fiscal), quando os analistas apontavam para uma faturação média de 58,97 mil milhões.

  

As acções da tecnológica estão a reagir em alta a estas estimativas, com o mercado a sentir que este ‘outlook’ da Apple sugere alguma estabilidade depois de um final de 2018 bastante fraco.

 

A Apple segue a somar 5,61% na negociação fora de horas em Wall Street, para 163,35 dólares. A empresa encerrou a sessão regular desta quinta-feira a ceder 1,04% para 154,68 dólares.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI