Tecnologias Bosch promete pôr táxis a voar em 2023

Bosch promete pôr táxis a voar em 2023

O grupo alemão garante que, com a sua solução tecnológica, “baseada em sensores de última geração”, os primeiros táxis voadores deverão estar a sobrevoar os céus dentro de quatro anos.
Bosch promete pôr táxis a voar em 2023
A Bosch garante que desenvolveu uma solução barata e fiável de sensores que irá permitir pôr os primeiro táxis no ar já dentro de quatro anos.
Rui Neves 21 de maio de 2019 às 12:45

Com o céu a ser olhado como a solução para o congestionamento de tráfego e a redução da circulação automóvel nos grandes centros urbanos, a Bosch continua a trabalhar em tecnologia "baseada em sensores de última geração para tornar estes voos especialmente seguros, confortáveis e eficientes".

 

Como a tecnologia convencional aeroespacial é muito cara, volumosa e pesada para ser usada em táxis voadores autónomos, a Bosch garante que desenvolveu uma solução "por uma fração do custo".

 

"Com recurso a sensores Bosch, já em uso em veículos de produção, a unidade de controlo universal é projetada para garantir a capacidade de determinar a posição dos táxis voadores de forma instantânea e constante, permitindo o seu controlo com precisão e segurança", afiança a Bosch.

 

"Através da solução da Bosch, pretendemos tornar a aviação civil com táxis voadores acessível a uma vasta lista de fornecedores", afirma Marcus Parentis, chefe da equipa de tecnologia da Bosch responsável pelas unidades de controlo incorporadas neste veículo.

 

"Além disso, os sensores da Bosch são especialmente pequenos e leves. Os fabricantes de táxis voadores podem instalar facilmente este componente Bosch nos seus veículos aéreos, utilizando o princípio ‘plug-and-play’, realça o grupo alemão, em comunicado.

 

Resultado: "Os primeiros táxis voadores deverão sobrevoar os céus das principais cidades a partir de 2023. O objetivo é que a Bosch assuma um papel de liderança na formação deste mercado", afirma Harald Kröger, presidente da divisão Bosch Automotive Electronics.

 

O Boston Consulting Group prevê que em 2030 sejam efetuados mil milhões de voos em todo o mundo, com recurso a táxis voadores, serviço que será prestado também pelas operadoras de "car sharing". Acresce que a maioria destes táxis aéreos será capaz de operar sem piloto.

Os voos de teste estão programados para começar em cidades como Dubai, Los Angeles, Dallas e Singapura em 2020, com os especialistas a preverem que as operações comerciais se iniciem em 2023.

 

"Embora os primeiros voos ainda recorram a um piloto, estas aeronaves podem começar a voar autonomamente já em 2025, controlados por operadores à distância pessoal", nota a Bosch. Por esta altura, reportando-se a estudos da Roland Berger, cerca de três mil táxis voadores estarão a operar em todo o mundo.

 

Já consultores da Morgan Stanley estimam que o negócio de táxis voadores possa chegar aos 1,35 mil milhões de euros até 2040.

 

"A questão não é se os táxis voadores se tornarão realidade, mas antes quando", remata Marcus Parentis.

A Bosh avança que, dependendo do conceito e do número de passageiros transportados, um táxi voador custará cerca de 500 mil euros.  




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI