Tecnologias Director da Cibersegurança demitiu-se porque ministro “não cumpriu” com promessas

Director da Cibersegurança demitiu-se porque ministro “não cumpriu” com promessas

Pedro Veiga explicou, à TSF, a razão da sua demissão do Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS). Promessas do ministro que não foram cumpridas estão no topo da lista.
Director da Cibersegurança demitiu-se porque ministro “não cumpriu” com promessas
Inês Lourenço
Negócios 10 de maio de 2018 às 17:00

O coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS), Pedro Veiga, demitiu-se do cargo. A notícia foi avançada esta quarta-feira, 9 de Maio, pela Lusa, que confirmou a informação junto do gabinete da ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques.

 

"Foi-me prometido pelo sr. ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior [Manuel Heitor] um certo conjunto de alterações que eu considerava imprescindíveis e isso não foi cumprido", disse Pedro Veiga em entrevista à TSF.

O responsável critica também o facto de a gestão do domínio "PT" estar em mãos privadas em vez de ser gerido pelo CNCS. Além de questões de segurança, relacionadas com a gestão do domínio "PT" também há questões financeiras. A associação DNS.PT, que faz esta gestão, recebe dois milhões de euros por ano e o responsável tem dúvidas quanto ao uso desta quantia recordando que foi construído "um edifício de 2,5 milhões de euros no centro de Lisboa para uma associação que tem 17 pessoas a trabalhar".

 

Pedro Veiga volta a criticar o ministro, afirmando que há "sérios conflitos de interesses" na gestão da DNS.PT, conflitos esses que chegaram ao conhecimento de Manuel Heitor. "Pelos vistos, o sr. ministro (...) ignorou as recomendações", concluiu.




pub