Tecnologias EUA acusam sete iranianos de ciberataques contra Wall Street

EUA acusam sete iranianos de ciberataques contra Wall Street

Os Estados Unidos da América acusaram sete cidadãos iranianos por ataques informáticos contra instituições financeiras norte-americanas, como o Bank of America e a bolsa de valores de Nova Iorque.
EUA acusam sete iranianos de ciberataques contra Wall Street
André Vinagre 24 de março de 2016 às 16:06

Sete piratas informáticos com ligações ao Governo iraniano foram acusados de terem perpetrado ataques informáticos contra várias organizações financeiras dos Estados Unidos da América, avança a Bloomberg esta quinta-feira, 24 de Março.

 

Os "hackers" iranianos atacaram o Bank of America, a bolsa de valores de Nova Iorque, o Nasdaq e até a empresa de telecomunicações AT&T, refere o Ministério Público Federal.

 

De acordo com a Bloomberg, os piratas informáticos iranianos trabalhavam para o Governo do Irão.

 

"Os acusados desactivaram ou tentaram desactivar servidores de computadores pertencentes a estas organizações para que estas não conseguissem fazer os seus negócios com clientes online durante os ataques", diz a acusação.

 

Entre Dezembro de 2011 e Maio de 2013, o grupo atacou os sistemas informáticos das empresas. Os ataques eram, inicialmente, esporádicos, tornando-se depois cada vez mais frequentes, acabando por se tornarem semanais. Em alguns dias, os ataques evitavam que centenas de milhares de clientes online acedessem às suas contas.

 

Os ataques deste grupo afectaram um total de cerca de 46 grandes instituições financeiras e empresas do sector.

 

O New York Times acrescenta que os piratas informáticos também tentaram controlar uma pequena barragem em Rye, Nova Iorque. Esta tentativa de controlar a barragem de Bowman, em Rye, fracassou, mas preocupou mais os especialistas em segurança já que este foi um ataque diferente, tentando controlar uma infraestrutura física.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI