Tecnologias Facebook, Tesla, Microsoft, Qualcomm e PayPal surfam onda de resultados nos EUA

Facebook, Tesla, Microsoft, Qualcomm e PayPal surfam onda de resultados nos EUA

Os investidores aguardavam com grande expectativa o fecho das bolsas norte-americanas, já que se esperava um "tsunami" de resultados. O Facebook destaca-se a disparar perto de 11% na negociação fora de horas, depois de superar as projeções dos analistas para as contas do quarto trimestre e reportar os maiores lucros da sua história.
Facebook, Tesla, Microsoft, Qualcomm e PayPal surfam onda de resultados nos EUA
Reuters
Carla Pedro 30 de janeiro de 2019 às 22:07

Este dia 30 de janeiro foi pródigo em divulgação de resultados, especialmente do outro lado do Atlântico, após o fecho dos mercados.

 

Assim que Wall Street encerrou portas, começaram a ser divulgadas as contas de inúmeras empresas. Eis alguns destaques.

 

Facebook dispara 8% ao superar estimativas de lucros e vendas

 

A tecnológica liderada por Mark Zuckerberg reportou os resultados do seu quarto trimestre fiscal e agradou ao mercado ao apresentar números acima do esperado tanto na top line como na bottom line – que é como quem diz: receitas e lucros.

As vendas da empresa sediada em Menlo Park (Califórnia) aumentaram 30% face ao período homólogo de 2017, para 16,91 mil milhões de dólares, quando a projecção média apontada pelos analistas inquiridos pela Bloomberg era de 16,39 mil milhões.

 

Também os lucros da tecnológica foram superiores às previsões dos analistas. A empresa registou um lucro por ação de 2,38 dólares (+ 65% do que um ano antes), quando o consenso de mercado estimava 2,18 dólares.

O resultado líquido ascendeu a 6,88 mil milhões de dólares, um máximo de sempre para a empresa e um aumento de 61% face ao mesmo trimestre de 2017.

 

No que diz respeito à audiência de "Facebookianos", a empresa anunciou 2,32 mil milhões de utilizadores activos mensais entre outubro e dezembro, ficando em linha com as expectativas mas marcando um aumento de 2,2% face aos 2,27 mil milhões do trimestre anterior.


As acções estão a reagir em alta no "after-hours" da negociação da bolsa nova-iorquina, com uma subida de 10,74% para 166,57 dólares. Na sessão regular desta quarta-feira encerraram a ganhar 4,32% para 150,42 dólares.

Microsoft reporta vendas em linha com o esperado. Mas "cloud" preocupa

 

A tecnológica liderada por Satya Nadella também reportou esta noite os seus resultados. No seu segundo trimestre fiscal, terminado a 31 de Dezembro, os lucros ajustados ascenderam a 8,58 mil milhões de dólares (1,10 dólares por ação, acima da estimativa média de 86 cêntimos apontada pelos analistas inquiritos pela Bloomberg).

 

As receitas, por seu turno, aumentaram 12%, para 32,5 mil milhões de dólares, ficando em linha com as projeções médias.

 

No entanto, as ações da Microsoft seguem a ceder terreno na negociação fora de horas da bolsa nova-iorquina – a caírem 3,35% para 102,82 dólares depois de terem encerrado a sessão regular a ganhar 3,34% para 106,38 dólares. 

 

A pesar no sentimento dos investidores está o menor crescimento da unidade de computação na nuvem (cloud computing) e um fraco mercado para os computadores pessoais.

Tesla encolhe lucros e mercado assobia

 

A fabricante de veículos elétricos fundada e liderada por Elon Musk anunciou um lucro por ação de 1,93 dólares no seu quarto trimestre fiscal, quando os analistas estavam à espera de um lucro médio de 2,10 dólares por ação.

 

Os lucros encolheram numa altura em que o CEO anunciou um corte de empregos para tentar proteger a rentabilidade da empresa. Mas o seu resultado líquido também vai começar a ser pressionado pela introdução de versões mais baratas do seu Model 3, pelo que os investidores estão a castigar a empresa em bolsa.

 

A Tesla segue a recuar 2,19% para 302,02 dólares, já depois da negociação regular em Nova Iorque (que encerrou em alta, com um ganho de 3,80% para 308,77 dólares).

5G anima vendas da Qualcomm

 

A Qualcomm, maior fabricante de chips para telemóveis, apresentou as suas estimativas para as receitas do seu atual trimestre fiscal (o segundo), estabelecendo-as entre 4,4 e 5,2 mil milhões de dólares.

 

A empresa sediada em San Diego disse que está a ser impulsionada pela transição para a quinta geração (5G) dos sistemas sem fios. O consenso de mercado aponta para uma faturação média de 4,83 mil milhões de dólares, segundo a Bloomberg.

 

Estas projeções da Qualcomm foram uma lufada de ar fresco no reino das fabricantes de microchips, depois de a Intel e a Nvidia apresentarem estimativas menos risonhas.

 

O mercado reagiu bem a estes números, seguindo a Qualcomm a ganhar 2,39% para 51,37 dólares, depois de ter encerrado na sessão regular a subir 1,56% para 50,17 dólares.

Volume de negócios da PayPal desilude

 

A plataforma de pagamentos online mostrou esta noite que as expectativas de Wall Stret para os resultados do seu quarto trimestre eram otimistas. As vendas da empresa ficaram abaixo das estimativas do mercado, o que não acontecia há mais de três anos.

 

Depois de anos de crescimento e a exceder as projeções dos analistas, a PayPal anunciou um aumento de 13% do volume de negócios, para 4,23 mil milhões de dólares, quando o consenso de mercado apontava para 4,24 mil milhões. Falhou por pouco, mas foi o suficiente para desiludir os investidores.

 

Depois de ter encerrado a sessão regular desta quarta-feira a somar 1,43% para 92,42 dólares, as suas ações seguem a recuar 3,48% para 89,20 dólares na negociação fora de horas.



(notícia atualizada pela última vez às 23:49)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI