Tecnologias IBM compra Red Hat por 34 mil milhões na sua maior aquisição de sempre  

IBM compra Red Hat por 34 mil milhões na sua maior aquisição de sempre  

A IBM avança com a sua maior aquisição de sempre com o objectivo de ganhar escala no negócio do "software". O prémio da OPA é de 62%.
IBM compra Red Hat por 34 mil milhões na sua maior aquisição de sempre   
A CEO da IBM quer inverter a tendência de queda nas receitas
Nuno Carregueiro 28 de outubro de 2018 às 20:07

A IBM anunciou este domingo o lançamento de uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a fabricante de "software" Red Hat, numa operação avaliada em 34 mil milhões de dólares (incluindo dívida).

 

O preço da OPA é de 190 dólares por acção, uma oferta em dinheiro que incorpora um prémio de 62% face à última cotação da Red Hat.

 

Segundo a Reuters, esta é a maior aquisição de sempre da IBM, uma das tecnológicas mais antigas que tem actualmente um valor de mercado de 114 mil milhões de dólares.

 

O objectivo passa por compensar o abrandamento da procura dos produtos que a IBM fabrica, como servidores e computadores, para aumentar a aposta na actividade de "software", onde as margens são mais elevadas.

 

Ainda na recente apresentação de resultados trimestrais a IBM decepcionou o mercado e viu as suas acções sofrerem uma descida acentuada, depois de ter anunciado uma queda de receitas mais pronunciada do que os analistas estavam à espera.

 

Com esta aquisição a IBM pretende inverter este ciclo de descida de receitas, que dura há anos, já que a Red Hat é especialista no sistema operativo Linux (código aberto) e tem vindo a crescer de forma sustentada, rivalizando com a Microsoft.

 

"Esta aquisição da Red Hat representa uma mudança de paradigma …  a IBM passa a ser líder no fornecimento de soluções híbridas na ‘cloud’, oferecendo às empresas a única solução aberta capaz de extrair valor dos seus negócios na ‘cloud’", diz a CEO Ginni Rometty.

 

A Red Hat vai continuar a ser liderada por Jim Whitehurst e o negócio deve estar concluído no segundo semestre do próximo ano. Devido ao investimento efectuado nesta operação, a IBM vai suspender o programa de recompra de acções em 2020 e 2021.




pub