Tecnologias Imune à pandemia, Novabase sobe faturação em 13% para 31,6 milhões

Imune à pandemia, Novabase sobe faturação em 13% para 31,6 milhões

A Novabase aumentou em 13% o volume de negócios, para 31,6 milhões de euros, no primeiro trimestre, indicando que não sentiu impactos relevantes da pandemia. O "net cash" atingiu um recorde de 67,3 milhões, impulsionado pelas vendas do negócio GTE e da Collab por 36,1 milhões.
Imune à pandemia, Novabase sobe faturação em 13% para 31,6 milhões
DR
Pedro Curvelo 14 de maio de 2020 às 16:57
A Novabase encerrou o primeiro trimestre deste ano com um volume de negócios de 31,6 milhões de euros, uma subida de 13% face a igual período de 2019, informou esta quinta-feira a empresa liderada por João Nuno Bento.

A empresa destaca, em comunicado enviado à CMVM, que "não sentiu impactos relevantes da pandemia de covid-19" e que o "net cash" (disponibilidades de caixa menos empréstimos e financiamentos bancários de curto prazo) ascendeu a 67,3 milhões de euros, impulsionado pelas vendas do negócio GTE e da Collab por 36,1 milhões.

A Novabase assinala ainda que a liquidez gerada beneficiou de 32,9 milhões de euros pela alienação do negócio de governo, transportes e energia (GTE) à Vinci Energies, presente em Portugal com a marca Axians, sendo que este valor ainda não reflete o recente ajustamento na contrapartida a receber pela Novabase. A alienação da Collab gerou um encaixe de 3,2 milhões de euros.

A empresa assinala que a situação de liquidez é "robusta" permitindo prosseguir o plano da "Estratégia 2019+", bem como "enfrentar os potenciais impactos da pandemia covid-19".

A Novabase sublina também que os clientes de grande valor ("top tier") aumentaram quer em número quer em volume de negócios, tendo passado de 12 para 18 clientes e a faturação aumentado 12% face ao primeiro trimestre de 2019.
 
(notícia atualizada)



Marketing Automation certified by E-GOI