Tecnologias KuantoKusta cresce 130% à boleia da covid-19 e vai contratar mais 20 pessoas

KuantoKusta cresce 130% à boleia da covid-19 e vai contratar mais 20 pessoas

Abril foi “o melhor mês” da história da plataforma digital que detém o maior comparador de preços em Portugal, levando-a a rever em alta as metas de faturação para 2020 e a pôr em marcha a contratação de “mais cerca de 20 profissionais, maioritariamente engenheiros”.
KuantoKusta cresce 130% à boleia da covid-19 e vai contratar mais 20 pessoas
Paulo Pimenta, CEO da KuantoKusta
Paulo Duarte
Rui Neves 13 de maio de 2020 às 14:00

O comércio eletrónico é um dos negócios em alta nestes tempos de pandemia. Por exemplo, a empresa tecnológica KuantoKusta, que detém o maior comparador de preços em Portugal, admite que está a bater sucessivos recordes de visitas e de faturação.

 

"Em março e abril crescemos mais 130% face ao período homólogo em 2019 devido à covid-19, um crescimento sem precedentes. O confinamento obrigou os portugueses a recorrerem mais ao ‘e-commerce’ e foram registadas 6,5 milhões de visitas só em abril, o melhor mês da história da empresa", enfatiza Paulo Pimenta, CEO da KuantoKusta.

 

Resultado: a empresa reviu em alta as suas metas para 2020, prevendo agora fechar o ano com 65 milhões de visitas e atingir os cinco milhões de euros de faturação, contra os 55 milhões de visitas e receitas de 4,5 milhões inicialmente previstos.

 

No ano passado, a KuantoKusta registou vendas de 2,7 milhões de euros e o número de visitas ultrapassou os 40,5 milhões.

 

Com a covid-19 a fazer disparar o negócio da empresa, Paulo Pimenta adiantou ao Negócios que a KuantoKusta, que emprega atualmente 54 pessoas, pretende recrutar, "este ano, mais cerca de 20 profissionais, maioritariamente engenheiros".

 

Este comparador de preços, que comemora no próximo sábado, 16 de maio, 15 anos de atividade, tem como desígnio ser líder no "e-commerce" em Portugal – lugar que é atualmente ocupado pela Worten – e chegar aos 25 milhões de euros de faturação em 2025, graças a novos projetos e recursos em carteira.

"Temos vários projetos em carteira que envolvem o setor do retalho, comparação de serviços e a contratação de 50 colaboradores para esse fim", avança o CEO do comparador de preços, que começou com 10 lojas em 2005 e hoje "integra 800 lojas na sua plataforma, o que permite a comparação de preços de mais de dois milhões de produtos".

 

"Em 15 anos, para lá do comparador, lançamos uma app, o ‘marketplace’, o projeto KK supermercados e mantemo-nos há três anos consecutivos como a escolha do consumidor na comparação de preços", frisa Pimenta.

 

Na primeira semana de fevereiro passado, pouco tempo antes de a covid-19 chegar a Portugal, e depois de quatro anos instalado no centro empresarial Lionesa, em Matosinhos, a empresa tecnológica mudou as suas operações e os seus então 43 trabalhadores para Vila do Conde, após um investimento de 250 mil euros na adaptação do espaço com mais de 900 metros quadrados.

 

A KuantoKusta foi fundada em 2005 pelos irmãos Pimenta, emigrantes em França, que vieram para Portugal com o desejo de abrir uma loja de informática.

 

Enquanto analisavam os preços praticados no país, depararam-se com a inexistência de um site que agregasse preços e permitisse a sua comparação, pelo que decidiram criar o primeiro comparador de preços de Portugal.

 

Os irmãos Pimenta – Paulo, Pedro e David – continuam a controlar o capital da KuantoKusta.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI