Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lançamento de operadores móveis virtuais relevantes é pouco provável

O lançamento de operadores móveis virtuais em Portugal é uma ameaça para as três operadoras móveis já existentes, mas o Millennium bcp investimento diz que o lançamento de MVNO relevantes num futuro próximo «é pouco provável»

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 22 de Abril de 2005 às 11:43
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O lançamento de operadores móveis virtuais em Portugal é uma ameaça para as três operadoras móveis já existentes, mas o Millennium bcp investimento diz que o lançamento de MVNO relevantes num futuro próximo «é pouco provável»

O «Semanário Económico» noticiou que alguns operadores de telecomunicações fixas ponderam a possibilidade de lançar operações móveis virtuais (MVNO"s) caso tal seja permitido pelo regulador do sector das telecomunicações, a Anacom.

Entre eles encontram-se a Oni e a Tele2 e o regulador está a analisar a originação das chamadas de voz em rede móvel e só depois irá equacionar se existe mercado concorrencial e se existe espaço para operadores móveis virtuais.

«No nosso entender, esta é uma ameaça relevante para os operadores móveis existentes, nomeadamente para a Sonaecom e para a Portugal Telecom», refere o Millennium bcp investimento, afirmando que a possibilidade de lançamento de MVNO não constituiu uma novidade.

Contudo, o banco de investimento do BCP alerta que «é importante perceber qual a probabilidade de se conseguir lançar uma operação móvel virtual dado que no nosso entendimento não é óbvia a existência de um plano de negócios interessante num mercado com 10 milhões de habitantes e com 100% de penetração de telefones móveis».

« Assim, pensamos que é pouco provável o lançamento de operações móveis virtuais relevantes num futuro próximo», conclui a mesma fonte.

O mercado móvel português é liderado pela TMN da Portugal Telecom, surgindo depois a Vodafone e a Optimus, da Sonaecom.

Para lançar operações móveis virtuais as empresas interessadas terão de alugar as redes das três operadoras já estabelecidas no mercado.

Mais lidas
Outras Notícias