Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Nova versão do "Magalhães" à venda a partir de amanhã desde 329 euros

A nova versão do computador portátil "Magalhães", o MG2, poderá ser adquirido a partir das 00:00 de quinta-feira desde 329 euros, anunciou a JP Sá Couto, fabricante dos computadores "Magalhães".

Negócios com Lusa 21 de Outubro de 2009 às 09:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
A nova versão do computador portátil "Magalhães", o MG2, poderá ser adquirido a partir das 00:00 de quinta-feira desde 329 euros, anunciou a JP Sá Couto, fabricante dos computadores "Magalhães".

O MG2 vem equipado com o novo sistema operativo da Microsoft, o Windows 7, e estará disponível em duas versões: uma que custará 329 euros e uma edição especial, com uma capacidade de armazenamento de 160 gigabytes (GB), que poderá ser adquirida por 399 euros.

O novo computador "é um portátil leve, resistente ao choque e de pequenas dimensões, concebido especialmente para os jovens estudantes", de acordo com JP Sá Couto.

As lojas Fnac do Colombo (Lisboa) e do Norteshopping (Matosinhos), Media Markt (Alfragide e Gaia) e Worten do Colombo foram escolhidas para a apresentação pública da nova versão do portátil.

O lançamento do "Magalhães MG2" coincidirá com o lançamento do novo sistema operativo da Microsoft, Windows 7.

A primeira versão do computador "Magalhães", apresentada em Julho de 2008 e produzida em parceria pela multinacional Intel e pela portuguesa JP Sá Couto, foi distribuída nas escolas portuguesas aos alunos do ensino básico, no âmbito do programa e.escolinhas.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Educação em Setembro, inscreveram-se no programa no ano lectivo passado 407.701 alunos do ensino básico, tendo o computador sido entregue a 396.027 estudantes de escolas públicas e privadas do continente.

A JP Sá Couto já anunciou que vai enviar até ao final do ano para a Venezuela 350 mil computadores "Magalhães" e tem uma parceria com uma empresa dos Emirados Árabes Unidos para estudar a forma de conceber um projecto adequado à federação, com cerca de 300 mil crianças a frequentar o primeiro ciclo.

Ver comentários
Outras Notícias