Tecnologias Novas tecnologias vão dar 150 milhões à Novabase

Novas tecnologias vão dar 150 milhões à Novabase

As áreas mais recentes da tecnologia, como a Inteligência Artificial ou Cloud, são a aposta da Novabase. A empresa quer duplicar a faturação neste segmento até 2023. O foco será na Europa e Médio Oriente e tem aquisições na mira.
A carregar o vídeo ...
Pedro Curvelo 26 de julho de 2019 às 07:49

As áreas mais recentes da tecnologia, como a Inteligência Artificial ou Cloud, são a aposta da Novabase. A empresa quer duplicar a faturação neste segmento até 2023. O foco será na Europa e Médio Oriente e tem aquisições na mira.

 

A Novabase traçou como meta para 2023 duplicar o volume de negócios no segmento das tecnologias mais recentes, para um montante superior a 150 milhões de euros. Na apresentação, esta quinta-feira, do plano estratégico, o CEO da empresa, João Nuno Bento, indicou que o foco estará na Europa e Médio Oriente. A empresa assegura que a maior parte desta "transformação" ocorrerá até 2021.

Este segmento de negócios, que a empresa designa por Next-Gen, já representou 55% dos 74,7 milhões de euros de faturação da Novabase no primeiro semestre. E é uma área onde os mercados internacionais são responsáveis por quase dois terços do volume de negócios.

"Seremos uma empresa de TI (Tecnologias de Informação) Next-Gen", resumiu João Nuno Bento. É esse o "reposicionamento no mercado" que estamos a fazer.

O responsável assinalou que os mercados preferenciais para expandir o Next-Gen são a Europa e o Médio Oriente. No entanto, ressalvou que a Novabase continuará a apoiar os clientes "em África e noutras geografias em que estamos presentes".

A aceleração deste segmento de negócio será alcançado quer por crescimento orgânico quer por fusões e aquisições, estimou, indicando que serão aquisições de "empresas de dimensão relativamente reduzida e que facilitem o acesso da Novabase a potenciais clientes". "Assim, a prioridade serão compras de empresas nos mercados em que apostamos. Portugal não será prioritário para aquisições".

E a aposta da empresa para fazer crescer o Next-Gen passa inicialmente por privilegiar as telecoms e banca como clientes.. "Também queremos grandes clientes que queiram uma parceria de longo prazo connosco", disse João Nuno Bento.

O investimento que o plano implica, "em particular em talento, onde temos investido na formação com a Novabase Academy" leva a administração a propor aos acionistas o fim da atual política de remuneração do capital. Será também proposta a distribuição de um dividendo extraordinário de 0,5 euros por ação este ano, bem como uma operação de redução e posterior aumento de capital. Concluída esta operação, o capital social da Novabase será de cerca de 54,64 milhões de euros, com cada ação a ter um valor nominal de 1,74 euros.

A Novabase subiu os lucros semestrais em 16%, para 1,6 milhões de euros.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI